Jorge Jesus venceu tudo o que podia vencer no Brasil e conquistou também a «Nação» do Flamengo, com cerca de 50 milhões de adeptos.

Por isso, deixar tudo para trás «não foi fácil», como assumiu na apresentação como novo treinador do Benfica.

«Para vir, teve de haver uma causa muito grande: voltar a ganhar com o Benfica. Só uma pessoa e um clube poderiam tirar-me do Flamengo», assegura.

O técnico admite que o desafio que tem pela frente não é fácil, mas garante que são esses aqueles que persegue.

«Gosto de desafios difíceis. Quem trabalha aqui sabe que é difícil. Mas é motivador, porque há capacidade para assegurar os objetivos. Para sair de onde me amavam, tive de ser convencido por algo que fosse um desafio diferente. E o presidente convenceu-me que este era o projeto certo», explicou.

Após chegar do Rio de Janeiro, um «paraíso» onde era amado por todos… Jesus quer conquistar outro paraíso.

«Agora vou tentar conquistar outro paraíso. É isso que me compete a mim e à minha equipa técnica. Dependemos de resultados, mas estamos convictos que temos capacidade para criar grupo muito forte», disse, assegurando que não irá fazer qualquer revolução no plantel encarnado.

«Não vim para fazer uma revolução. A única coisa que vou fazer é mudar conceitos e ideias, com as pessoas que estão cá. Vou tentar fazer uma equipa muito forte para voltar ao paraíso», concluiu.

Adérito Esteves / Benfica Campus, Seixal