O treinador do Benfica, Jorge Jesus, em declarações na conferência de imprensa após o jogo com o Dínamo Kiev, da 6.ª jornada da Liga dos Campeões 2021/22 e que terminou com vitória dos encarnados por 2-0, o que permitiu aos encarnados chegar aos oitavos de final da prova:

«O presidente tem uma forma de estar connosco que é igual sempre. Está no início dos jogos e depois vai para a tribuna. E no final, quando ganha ou perde vai para a cabine. Depois do Sporting tentou dar carinho aos jogadores e hoje o mesmo, mas carinho positivo, porque eles sabem a valorização que tiveram. Entraram nos oitavos de final deixando o Barcelona de fora. O mundo da Ásia e o árabe vão perceber porque é que o Benfica deixou o Barcelona de fora.»

«Hoje foi o 26.º jogo do Benfica. Na Champions fez 10 jogos e ganhou cinco. Perdeu dois para o Bayern. No campeonato, o Benfica ganhou 10 em 13. Portanto, dos 26, ganhou 17. O que está aqui em causa? Perder para o rival. Não estão habituados e eu também não. Dos 18 jogos comigo com o Sporting, o Benfica só perdeu três. Foi uma reação de sentimento ferido. Hoje tiveram comportamento completamente diferente. Não é hoje que sou um dos melhores treinadores do mundo, nem foi antes que fui um dos piores. Perco e ganho como treinador. Não é chapada de luva branca nenhuma, os adeptos querem que o Benfica vença, seja quem for o treinador. Foi um trabalho diário para hoje não cometermos os mesmos erros como Sporting. Também temos jogadores experientes e eles levantaram a equipa.»

«Hoje não senti isso, no jogo com o Sporting senti [assobios]. Hoje por ter vencido nada muda. Os objetivos continuam intactos. Depois de entrar com Bayern e Barcelona todos nos punham fora. Nós acreditámos que tínhamos uma hipótese e felizmente conseguimos. Continua igual depois de perder com o Sporting e depois de vencer hoje. Renovação? É tudo igual, tenho contrato até maio/junho, é o que vai suceder.»

Luís Pedro Ferreira / Estádio da Luz, Lisboa