Jorge Jesus foi apresentado esta segunda-feira como novo treinador do Benfica, ele que está de regresso ao clube cinco anos depois.

Em conferência de imprensa, o técnico mostrou um discurso centrado na «uinião» de todos em volta do Benfica e reiterou que regressa à Luz apenas para ganhar.

«Quero dizer o seguinte aos adeptos: vim para ganhar, estou habituado a isso. Mas também vim para unir a nação benfiquista. É muito importante todos perceberem, como está em cima da águia, 'Um somos todos'», disse.

«Venho com a mesma vontade de ganhar e com a mesma convicção de quando fui apresentado em 2009. Estou com muita vontade de ganhar coisas importantes», acrescentou.

«Não vim para o Benfica para me reformar, o presidente ofereceu-me quatro anos de contrato, mas eu disse que só queria um. Acabaram por ser dois», revelou ainda, notando que veio receber menos do que ganhava no Brasil.

«Vim ganhar menos dinheiro do que ganhava no Flamengo. E vim porque acredito no projeto e porque quero ajudar a recuperar o prestigio internacional. Isso é fundamental», continuou.

Na primeira intervenção como treinador das águias, ainda antes do período de perguntas, Jesus voltou a sublinhar a necessidade de haver união entre todos os benfiquistas, porque ele sozinho não poderá fazer nada.

«Eu não sou o salvador. Os salvadores vamos ser todos. Com os benfiquistas unidos», apontou, dando o exemplo do que viveu no Flamengo.

«Cheguei de um grande clube, com mais de 50 milhões de adeptos, que se uniu à volta do treinador e da equipa. E por isso é que ganhámos. Quero agradecer do fundo do coração a forma como me trataram. O carinho com que fui tratado.

[artigo atualizado]

Adérito Esteves / Benfica Campus, Seixal