Apesar de ter sido suplente utilizado nos três jogos oficiais realizados pelo Benfica em 2019/20, o reforço Chiquinho tem deixado boas impressões e Bruno Lage chegou mesmo a dizer, numa conferência de imprensa anterior à do jogo com o FC Porto, que o ex-jogador do Moreirense se trata de um «craque».

Na antevisão ao clássico deste sábado, o treinador do Benfica recusou abrir o jogo acerca do onze que vai fazer alinhar ou até a respeito da convocatória que só será divulgada no dia da partida, mas reiterou a ideia já expressa anteriormente de que quer os jogadores sempre a lutar com os companheiros por um lugar no onze, pegando na questão de uma jornalista que lhe perguntou se Chiquinho pode vir a ser uma ameaça para Raúl de Tomás.

Leia também - Lage e as entradas sobre Rafa: «Não é caça a ninguém»

«Isso é o que eu ando a dizer desde o início da época. Eu quero é ameaças para toda a gente. E não sou o único treinador que diz isso. Ainda hoje vi o mister Augusto Inácio falar disso quase de uma forma diferente: os jogadores têm de se sentir como se estivessem no Vietname. Nós, treinadores, todos queremos isso [n.d.r.: um plantel competitivo]», destacou, relativizando o facto de o avançado espanhol ainda não ter marcado qualquer golo.

«Nós estamos a olhar muito para o coletivo e sentimos que criamos muitas oportunidades de golo.»

David Marques / Centro de treinos do Benfica, Seixal