Júlio César comentou a mudança de Ederson do Benfica para o Manchester City. Na opinião do internacional brasileiro, o jogo de pés do compatriota foi decisivo para Pep Guardiola, treinador dos citizens. O guardião destacou o pontapé longo daquele que foi o titular na Luz, na época passada.

«O Éderson jogou no ano passado, eu fiquei no banco», lembrou Júlio César, no programa Troca de Passes.

«É um guarda-redes que tem um futuro brilhante pela frente, é um guardião de seleção, é tecnicamente muito bom», continuou, para assumir que Ederson «é um amigo em particular».

Depois, Júlio César acrescentou: «Ele é muito bom com os pés, e isso foi o diferencial da contratação dele pelo Manchester City. O Guardiola gosta muito de guarda-redes que jogam bem com os pés. Quando o "Ed" teve a oportunidade de jogar com o Bayern de Munique, na Liga dos Campeões, ele jogou muito bem. Ele colocava a bola, nos pontapés de baliza, na outra área. É incrível a força que ele tem, é uma coisa surreal. Nenhum guarda-redes tem isso. Aquilo chamou a atenção do Guardiola.»

O internacional brasileiro explicou a Roger, ex-jogador do Benfica e que apresenta o programa, que o pontapé longo de Ederson era estratégia na Luz.

«Era uma jogada que nós tínhamos no Benfica, treinada, era o Ed bater direto para o ponta de lança», disse.

Júlio César concluiu depois: «Muita gente não sabe, no pontapé de baliza, não há fora de jogo. A defesa está alta, o jogador fingia que estava a dormir, e ele colocava a bola lá. Inclusive, no último jogo, contra o Guimarães, que nos deu o título, saiu um golo assim. Ele estava buscando durante o campeonato inteiro.»