A «novela» Rui Vitória sofreu um novo twist esta quinta-feira ao princípio da tarde.

Depois de na quarta-feira a notícia da saída do treinador ser dada como praticamente adquirida, o técnico vai, afinal, continuar no Benfica.

Caso se consumasse a «chicotada», tratava-se da primeira vez em que o técnico de Vila Franca de Xira seria demitido. Em 2013, em entrevista ao Maisfutebol quando ainda orientava o V. Guimarães, Vitória chegou a mencionar esse dado factual.

Em dez anos de carreira, alguma vez esteve desempregado?

«Nunca. Por acaso, nunca falei muito sobre isto, mas é curioso. Nunca parei como jogador nem como treinador, quando comecei naquela terça-feira de 2002. As pessoas falam em feriados, fins-de-semanas, férias, mas treinador não tem disso. Faço férias lá fora mas um telefonema dá para contratar um jogador ou perdê-lo, portanto nunca nos podemos desligar. O defeso é um período em que se ganham épocas. Nestes dez anos, nunca estive desligado do futebol. Nunca estive desempregado mas espero que falar disto não me dê azar agora.»

Facto: até esta quinta-feira, 29 de novembro de 2018, ainda não deu azar.

Rui Vitória iniciou-se no Vilafranquense, passou pela formação do Benfica e treinou o Fátima durante quatro anos, tendo chegado ao primeiro escalão do futebol português em 2010 para treinar o Paços de Ferreira.

Foi no emblema da «capital do móvel» que o treinador de 48 anos deixou, pela primeira e única vez, uma equipa antes do término de uma temporada: não por decisão da direção pacense mas porque foi convidado para treinar o V. Guimarães, de onde sairia apenas no verão de 2015 para orientar o clube da Luz.

Vitória é treinador desde 2002.