Rui Vitória, treinador do Benfica, em declarações aos jornalistas após o triunfo sobre o Arouca por 2-1 para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal:

«Era importante vencermos e dar minutos a alguns jogadores que não têm o ritmo que queríamos. Em alguns momentos podíamos ter tido mais qualidade mas a equipa teve uma vitória no final do jogo também pela persistência e capacidade de acreditar. Às vezes não se ganha muito cedo e com a qualidade que pretendemos, mas também corremos esses riscos ao colocar a equipa da forma que colocámos e ao ter estes jogadores: uns com mais jogo e outros com menos jogo.»

[Dificuldades surgiram só pelas alterações na equipa ou também pelo período difícil que a equipa atravessa?]

«São as duas questões. É evidente que fazer-se algumas alterações – estamos a falar do Krovinovic, que não joga há dez meses, do Corchia, que tem jogado muito pouco e de dois jogadores que chegaram ontem e que jogaram há 48 horas –acaba por ser uma condicionante. Esta sequência que queremos de vitórias tem de ser feita de forma segura. Não se passa de um momento em que não estivemos bem para a perfeição num estalar de dedos.

Era importante vencer e dar minutos aos jogadores, porque estes jogadores vão ser úteis daqui para a frente a qualquer momento.»

[O 4X4X2]

«É uma das formas que temos de jogar. Já utilizámos em alguns momentos de jogos anteriores e agora foi de início. Temos essas duas possibilidades e basta eu querer que os jogadores sabem o que têm a fazer.»

[Benfica teve a sorte do jogo?]

«A sorte do jogo não. Desde o início que fomos a equipa que procurou vencer. A equipa do Arouca teve um bloco baixo e marcou na primeira vez em que passou o meio-campo. Mas estiveram muito organizados numa perspetiva muito defensiva.

Faltou-nos velocidade na primeira parte para resolver a partida e depois, com o golo, acabámos por não ter a tranquilidade necessária.»

David Marques / Estádio da Luz, Lisboa