Nem os terroristas conseguem fintar a crise. Pelo menos é o que garante o Departamento do Tesouro norte-americano, que refere que a organização de Bin Laden está a enfrentar uma dura crise financeira.

«Estimamos que a Al-Qaeda esteja na sua mais débil condição financeira em muitos anos e, em resultado disso, a sua influência está a decrescer», afirma o responsável do Departamento do Tesouro dos EUA, David Cohen, em declarações à «BBC».

Ainda assim, Cohen sublinha que a situação pode ser alterada rapidamente, já que a organização possui diversos doadores que estão «prontos, dispostos e capazes de contribuir».

Em situação mais privilegiada estão os talibãs afegãos, que, de acordo com a mesma fonte, não só continua a lucrar com o tráfico de droga, como recebe importantes contributos de contribuintes privados oriundos da região do Golfo Pérsico.
Redação / CPS