Declarações de Jorge Simão, treinador do Boavista, em conferência de imprensa após a vitória sobre o Moreirense (1-0):

«Foi uma vitória muito saborosa. Vínhamos de dois resultados em que não conseguimos somar qualquer ponto e vínhamos de dois fins de semana em que não fizemos qualquer jogo oficial, ao contrário do nosso adversário. Na primeira parte o jogo foi mais dividido. Na segunda o Moreirense faz um remate e nós temos quatro bolas de golo, algumas situações em vantagem numérica. Aí, dá a sensação de que podíamos ter feito mais golos e terminar o jogo com outra tranquilidade. Poderíamos ter evitado esta angústia no final.»

[Comentando a não utilização de Rui Pedro, ponta-de-lança emprestado pelo FC Porto] «Todas as opções tem que ver com as características dos jogadores para o jogo, dedicação e trabalho diário. Só posso dar mérito aos jogadores que se entregam à equipa e que põem e qualidade que têm ao serviço da equipa. Os jogadores sabem como é que a minha cabeça funciona. A cabeça dos jogadores orienta-se por duas grandes coisas: os contratos que podem fazer, tal como eu, e também o tempo do jogo. Aí, eu intervenho. Dou tempo de jogo àqueles que estão preparados para dar o seu contributo à equipa.»

[Sobre a forma de poder captar mais adeptos] «Ganhar jogos e fazer com que as pessoas desfrutem de cada vez que se deslocam ao estádio. E mesmo que não ganhemos que nos saúdem no fim com uma salva de palmas, como aconteceu no jogo com FC Porto.»

[Acerca do eventual interesse em Assis, médio que já orientou no Desp. Chaves e Sp. Braga] «É um jogador de que eu gosto muito. Não está a jogar, mas tem ligação contratual ao seu clube, que é o Sp. Braga.»

Sérgio Pires / Estádio do Bessa, no Porto