Artigo originalmente publicado em outubro de 2014

A 29 de outubro de 1960 Cassius Clay fez o seu primeiro combate de boxe como profissional. Ganhou. Faz nesta quarta-feira 54 anos. Foi o primeiro combate, mas o pugilista de Louisville já não era um total desconhecido, apesar dos seus 18 anos. Cassius Clay tinha ganho poucos meses antes, em Roma, a medalha de ouro olímpica de meios pesados.

 

 

Mas Cassius Clay iria ficar muito mais conhecido como se sabe; e até por outro nome. Deste primeiro combate até ao último da carreira aconteceram mais 60, num total de 56 vitórias e cinco derrotas, com 37 KOs. A 29 de outubro de 1960 começou uma página do desporto ganha em seis assaltos por decisão unânime dos três juízes.

 

 

Tunney Hunsacker foi o pugilista que ficou mais conhecido por ser o primeiro adversário do Cassius Clay profissional do que pelos seus feitos no boxe – acabou até por dar o nome a uma ponte... Tinha 30 anos (mais 12 do que Clay), era o chefe da polícia de Fayetteville, no estado de West Virginia. E a personagem secundária desta história que já se viu duas vezes, mas que só agora se apresenta, apanhou uma valente sova.

 

O pugilista polícia, mais velho, mais pesado, não teve muitas hipóteses de evitar que o jovem campeão olímpico – já a fazer da sua ligeireza uma marca que só os seus adversários haveriam de lamentar – o deixasse em algum mau estado. Quando acabou, Clay estava como antes do combate e o sangue que tinha em si era o de Hunsacker.

 

«Clay, quase tão fresco como quando começou, tinha espalhado pelo seu corpo o sangue do nariz de Hunsaker e de um corte no sobrolho» do homem de Fayetteville», relatou na altura o «The Courier-Journal», de Louisville, a cidade de Clay, também ela o palco do combate, a que assistiram pouco mais de seis mil pessoas.

 

O vencedor mostrou-se à vontade em ter combatido seis assaltos pela primeira vez, mas lamentou o excesso de peso – combateu com 87 quilos (192 libras): «O peso extra tornou-se um pouco mais lento, mas nada que tenha magoado.» Já Hunsaker disse o que era óbvio para si mais do que para qualquer outro: «Ele é tremendamente bom para um miúdo de 18 anos.»

 

Cassius Clay ganhou em 1960 com a sua primeira vitória como profissional 2.000 dólares. Hunsaker ganhou 300. A terminar a crónica do combate o «The Courier-Journal» dizia o seguinte sobre o novo pugilista no circuito: «Depois do combate da noite passada, em que foi George  King a tratar dele, Clay vai ficar a cargo um grupo de dez homens de negócios de Louisville, com quem ele assinou um contrato de 18 mil dólares na semana passada. Eles vão contratar-lhe um manager e um treinador.»

 

Há 54 anos começava uma história única com Cassius Clay, que passou a certa altura a ser contada por Muhammad Ali, cheia de momentos memoráveis. Já agora, e por falar nisso, a 30 de outubro passam 40 nos sobre o famoso «The Rumble in the Jungle», o combate mítico entre o campeão do mundo de 25 anos George Foreman e o regressado e desafiante ao título Muhammad Ali, de 32. Fica o aperitivo...

 

Pedro Calhau