[Actualizada às 19h40]

O administrador da EDP Imobiliária Domingos Paiva Nunes, constituído arguido no âmbito do processo Face Oculta, pediu a suspensão de funções de representação da empresa, disse à Lusa esta quinta-feira fonte ligada ao processo.

A mesma fonte explicou que Domingos Paiva Nunes deixa assim de poder representar a empresa externamente, desempenhando apenas tarefas no interior do grupo.

O pedido de Domingos Paiva Nunes foi anexado ao processo aberto pelas autoridades judiciais.

EDP confirma suspensão de funções

A EDP confirmou que Domingos Paiva Nunes pediu a suspensão de funções de representação da empresa, disse à Lusa fonte oficial.

A empresa liderada por António Mexia abriu um processo de auditoria interna.
Redação / JF