[Actualizada às 15h33]

José Penedos, actual presidente da REN, é um dos 13 arguidos da operação «Face Oculta», que foi levada a cabo esta quarta-feira pela Polícia Judiciária de Aveiro, revela a TVI.

Também Armando Vara, actual vice-presidente do BCP, terá sido apanhado em escutas telefónicas a exigir 10 mil euros em troca de um favor.

Para além do actual presidente da REN, e ex-secretário-geral do PS, que já veio garantir que não se demite da Redes Energéticas Nacionais, também foi constituído arguido o filho, Paulo Penedos, advogado de Manuel Godinho, até agora o único detido em consequência desta megaoperação.

Sobre Paulo Penedos recaem suspeitas de ter recebido cerca de 240 mil euros por negócios que intermediou. Negócios que alegadamente foram conseguidos com a ajuda do pai. José Penedos terá feito com que as empresas de Godinho ganhassem contratos com a REN.

O actual vice-presidente do Millennium BCP tem estado incontactável, desde que foram conhecidas as alegações de que terá pedido 10 mil euros em troca de contactos feitos por si, granjeando da influência que mantém nas empresas do Estado depois de ter sido ministro do Governo de Guterres e presidente da Fundação para a Prevenção e Segurança.

Em causa, neste processo, estão, alegadamente, negócios de resíduos e adjudicação de obras fundamentais ao empresário

de Ovar.

Presidente da REN não se demite

Armando Vara, entretanto, quebrou o silêncio, para dizer que é

inocente das acusações
de que é alvo, com Conselho de Administração Executivo a garantir total confiança no vice-presidente.

José Penedos já fez saber, aos microfones da RTP, que não sairá da presidência da REN.

«O meu mandato está em curso. A minha pergunta é: porque é que haveria de ter o governo intervir uma iniciativa qualquer nesta matéria? (...) Não tenho absolutamente nenhuma mácula do meu comportamento».
Redação / JF