O treinador do Sp. Braga, Carlos Carvalhal, em declarações na conferência de imprensa após o jogo com o Benfica, da 7.ª jornada da Liga 2020/21 e que terminou com vitória minhota por 3-2:

«Os jogadores foram exímios no plano para este jogo. Passava por ter a bola e explorar a linha subida do Benfica. O Benfica desceu um pouco, pusemos o Galeno ali para explorar isso, mas o Benfica jogou mais baixo. Numa primeira parte sem grandes oportunidades, conseguimos sair em vantagem. Na segunda parte, vinha uma reação do Benfica, mas foi o Sp. Braga quem teve melhor reação e chegou a 3-0. O Benfica empurrou-nos para trás, os meus jogadores fatigados com sete jogos em 20 dias, mas chegámos ao final com uma vitória sofrida. »

«O Braga vai lutar pelo título? Não brinque comigo. O Braga deve ser mesmo muito grande, mas é um pouco inflamado. A nossa derrota em Leicester, com o segundo da Premier League, foi sentida de uma forma que parece que foi um escândalo. O Sp. Braga no máximo da força e energia iria ter muitas dificuldades para ganhar lá. Nós temos os pés bem assentes no chão. Quando perdemos os dois primeiros jogos todos duvidavam de nós. Nesse momento, o discurso foi muito tranquilo. Nunca vacilámos na progressão da equipa, da mesma forma que neste momento nos vamos meter de pés no ar. O grupo está muito focado a trabalhado mentalmente para usso, estar focado e o próximo jogo é com o Trofense.»

«Valor do plantel? Tinha o Rodrigo Gomes com 17 anos, outro da equipa B. Temos chamado jogadores da B e se a isto chamamos um plantel para todas as competições, discordo. Plantel com gente de trabalho e unida, isso temos. Quando o Ricardo Horta se lesiona, vem o Rodrigo Gomes, por exemplo. Temos um plantel curto, mas que me satisfaz. Não pode ser hipervalorizado, tem de ser avaliado pelo seu valor, que é um plantel de gente que trabalha.»

Luís Pedro Ferreira / Estádio da Luz, Lisboa