"Sempre reconheci as capacidades políticas de Mário Soares, falecido este sábado, aos 92 anos um verdadeiro animal político, como eu tive oportunidade de testemunhar várias vezes". Cavaco Silva foi seu adversário em alguns momentos, mas é fácil para o ex-Presidente da República elogiar o homem que foi Presidente enquanto ele era primeiro-ministro.

Este não é o tempo de lembrar discordâncias do passado, é sim o tempo de reconhecer a importância do contributo de Mário Soares para o contributo da nossa democracia, o trabalho que ele desenvolveu para a defesa dos ideais democráticos e reconhecer quanto Portugal deve ao político Mário Soares".

"Portugal deve-lhe muito, Portugal está de luto, os portugueses, todos os portugueses estou certo que hoje estão de luto. Portugal perdeu um dos maiores políticos do século XX", continuou Cavaco Silva já no final da sua mensagem de três minutos e meio, em direto nas rádios e televisões. 

AO MINUTO: Todas as reações à morte de Mário Soares

Quis transmitir à família "um sentimento de profundo pesar" e condolências. Antes, destacou o contributo "decisivo" de Soares pela defesa da liberdade e da democracia em "momentos conturbados" da vida nacional.

Como o facto de ter estado "na primeira linha" com uma "coragem extraordinária na defesa da democracia pluralista e lutando contra todas as formas de opressão, de ditadura, de totalitarismos". A "visão estratégica da importância à adesão às comunidades europeias para o futuro" do país foi igualmente recordada.

Lembrou, por duas vezes, e genericamente, as divergências que teve com Soares, mas também sublinhou os momentos de sintonia.

Em alguns momentos fui um adversário do Dr. Mário Soares, mas isso não impediu que apoiasse a sua recandidatura à Presidência da República e elogiasse o contributo deciviso para defesa da liberdade da democracia e essa visão estratégica da importância da União Europeia para Portugal".