O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, não quis antecipar as decisões que vão sair do próximo conselho de ministros, mas defendeu que a apresentação do certificado digital ou do teste negativo à covid-19 deve ser alargada a outras regiões ou municípios.

Faz sentido que possa ser alargado a outras regiões e municípios e assim facilitar a vida não apenas aos utentes mas também aos restaurantes", afirmou, nesta quarta-feira, em Vila Real.

Siza Vieira fez, inclusive, "um apelo aos presidentes das câmaras municipais para expandirem esta experiência", de facultar postos móveis de atendimento para a realização de testes por técnicos de saúde, que certificam a realização do mesmo, e que, sublinhou, "acaba por ajudar a dinamizar a economia local".

Sobre as críticas dos restaurantes situados nos concelhos de risco, relativamente às restrições horárias aos fins de semana, o ministro lembrou que a apresentação do certificado digital já "permitiu abrir um conjunto de atividades".

Eu não queria estar aqui a antecipar decisões, mas ouvimos os técnicos que diziam que devia haver uma generalização das medidas, o que nos permitiu abrir um conjunto de atividades (...) porque temos uma ferramenta que nos permite avaliar se a pessoa representa um risco vez de determinar o encerramento das atividades", apontou.

Mais de quatro milhões de certificados

O ministro da Economia confirmou, ainda, que existem já mais de quatro milhões de certificados no país, garantindo que não tem conhecimento da existência de grandes problemas na apresentação do mesmo, nomeadamente nos restaurantes.

Não tinha sequer eco das dificuldades. Já foram admitidos até ao momento mais quatro milhões de certificados digitais e não podemos garantir que não haja um problema ou outro, mas de uma maneira geral as coisas têm estado a funcionar", assegurou.

Catarina Machado