Um veterano da marinha norte-americana desceu quase 11 mil metros na Fossa das Marianas, o local mais profundo do mundo. Durante o mergulho, que bateu o recorde de profundidade, encontrou plástico no fundo do oceano.

Victor Vescovo desceu precisamente 10.927 metros abaixo do nível do mar, estabelecendo um novo recorde. A bordo do submersível DSV Limiting Factor, Vescovo passou cerca de quatro horas em explorações, tendo encontrado várias espécies marítimas que só vivem em águas tão profundas como aquelas. 

Uma viagem agridoce, no entanto, uma vez que durante o mergulho encontrou o que parece ser um saco de plástico com vários papéis de rebuçados no interior, confirmando que o problema do plástico nos oceanos é ainda mais grave do que se pensava.

A equipa vai agora analisar algumas das espécies encontradas na Fossa das Marianas para verificar se existem resíduos plásticos no organismo destes animais.

Ao todo, a expedição de Vescovo fez cinco mergulhos naquela zona do Pacífico.

A expedição de Vescovo, Five Deeps, pretende mergulhar até aos pontos mais profundos de cada um dos oceanos. Depois do mergulho na Fossa das Marianas, fica a faltar apenas o Oceano Ártico, estando o mergulho já marcado para setembro de 2019. Antes disso, Vescovo ainda deverá descer ao segundo ponto mais profundo do planeta Terra, na ilha de Tonga, no Pacífico Sul.

Esta foi a maior descida de sempre do Homem ao fundo do mar, na Fossa das Marianas, depois de uma expedição da marinha americana em 1960 e do mergulho do realizador de cinema James Cameron, em 2012, que não atingiram a profundidade de Vescovo.

Com esta descida, Victor Vescovo torna-se também no primeiro homem a atingir os dois extremos do planeta, depois de já ter escalado o Evereste, o ponto mais alto do mundo.

Acredito que ir aos extremos é uma tendência natural do ser humano”, disse o mergulhador.