Se considerarmos que um fumador pode fumar cerca de 6 cigarros por dia, durante o período laboral, e se contabilizarmos esse tempo em cerca de 10 minutos por cigarro, no final da semana o fumador perde cerca de 5 horas do seu tempo activo de trabalho. Ao final do ano, trabalhou menos 264 horas, ou seja menos 33 dias que um colega não fumador.

Por isso, no âmbito da discussão social e política das novas regulamentações sobre o consumo de tabaco, a NãoFumoMais relança o seu programa «Empresas Verdes», uma medida especialmente pensada para apoiar as empresas que querem ajudar os seus colaboradores a deixarem de fumar.

Em linha com a recente discussão na Assembleia da República, do novo projecto de lei sobre o tabaco, que vem proibir o fumo em espaços de trabalho, as empresas, instituições públicas e entidades da área da restauração irão necessitar de promover a inibição de fumar junto dos seus públicos internos.

Através do Programa Empresas Verdes, as empresas têm a possibilidade de incentivar e apoiar os seus colaboradores a deixarem de fumar, através da realização de protocolos de colaboração com a rede nacional de 18 clínicas «NãoFumoMais», a operar em todo o País.

O novo formato do protocolo «Empresas Verdes» atribui um desconto de 20% no tratamento de cada colaborador, contudo, as empresas podem optar ainda por uma maior comparticipação ou mesmo assumir o custo total do tratamento para deixar de fumar dos seus trabalhadores.

«Para as empresas as vantagens são inúmeras, nomeadamente financeiras, dado que o custo do tratamento dos seus colaboradores pode ser considerado em sede de IRC, podendo a empresa reaver ainda o valor do IVA», referem.
Redação / CPS