Representantes da Portucel estão no Uruguai em reuniões com o governo local para estudar hipóteses de investimentos, que poderão passar pela construção de uma fábrica de celulose e de papel, num investimento superior a mil milhões de euros.

Em declarações à agência «Lusa», fonte da papeleira portuguesa apenas confirmou que «está uma delegação da Portucel no Uruguai, representada por elementos da administração, a ter reuniões com o governo daquele país, para estudar as possibilidades de investimento no Uruguai», sem especificar quais.

Segundo a agência espanhola «EFE», citando fontes oficiais, os empresários portugueses reuniram-se esta terça-feira com o ministério da Economia e Indústria para negociar a possível construção de uma fábrica de celulose e de papel naquele país por 2.500 milhões de dólares (cerca de 1.582 milhões de euros), depois de segunda-feira terem sido recebidos no ministério dos Transportes e Obras Públicas para examinar o projecto.

Caso avance a construção da fábrica, acrescenta a EFE, «este será o maior investimento efectuado no Uruguai, mais importante que o da empresa finlandesa Botnia na construção da sua fábrica em Fray Bentos, no Oeste uruguaio, ou da espanhola ENCE, para a construção de outra fábrica na localidade de Conchillas, cujo investimento se calcula em 1.250 milhões de dólares (791 milhões de euros)».

Após a reunião com a delegação da Portucel, o ministro dos Transportes e Obras Públicas do Uruguai, Victor Rossi, manifestou o seu optimismo perante a possibilidade de concretização do projecto português, noticia a «EFE».

As acções da Portucel encerraram esta terça-feira a cair 0,43% para 2,32 euros.
Redação / Lusa/RPV