A 5 de outubro de 1962 chegava aos cinemas a primeira aventura de James Bond no grande ecrã. «Dr. No - Agente Secreto 007» era a adaptação cinematográfica do sexto volume dos romances de espionagem do agente 007, assinados por Ian Fleming.

Sean Connery foi o primeiro ator a encarnar o elegante, descontraído e mortífero agente secreto. Pela frente, James Bond tinha o temível doutor Julius No, vilão que planeava destruir o programa espacial norte-americano. E havia também a Bond Girl Honey Ryder, interpretada pela bela Ursula Andress.

A estreia mundial de «Dr. No» há exatamente 50 anos aconteceu no London Pavilion, na capital britânica. Em tempos um dos edifícios icónicos do centro de Londres, a antiga sala de espetáculos faz hoje em dia parte de um complexo de lojas e estabelecimentos comerciais.

E desde então, muito aconteceu também na vida e na carreira dos atores que vestiram a pele de James Bond durante o último meio século. De Sean Connery a Pierce Brosnan, passando por Roger Moore e Timothy Dalton, venha descobrir o que têm feito aqueles que um dia já se apresentaram como «Bond, James Bond».

Sean Connery:

Foi aos 32 anos que este escocês de Edimburgo conseguiu o papel de uma vida, precisamente como James Bond em «Dr. No». Ao todo, Sean Connery entrou em seis filmes oficiais e ainda em «Nunca Mais Digas Nunca», em 1983, aventura também baseada nas histórias do agente 007.

Já como figura calva e de barba grisalha, Sean Connery também ficou conhecido pelas participações em películas como «O Nome da Rosa», «Os Intocáveis» e «Indiana Jones e a Grande Cruzada». Atualmente com 82 anos e a na reforma desde 2003, o ator tem feito cada vez menos aparições públicas. Ainda assim pudemos vê-lo bem disposto a apoiar o tenista Andy Murray no Open dos Estados Unidos, em setembro.

Roger Moore:

Sucedeu a Sean Connery e ao australiano George Lazenby (que apenas participou num filme), e já era famoso como protagonista da famosa série de TV «O Santo». «Vive e Deixa Morrer» foi o primeiro de sete filmes em que Roger Moore respondeu por 007. O ator inglês é o recordista em número de participações na saga oficial - ele foi James Bond durante 12 anos, até 1985.

Na última década, Moore deu voz a vários filmes de animação, mas é como embaixador da UNICEF e defensor dos direitos dos animais que o ator tem estado mais ativo. Recentemente, apelou ao boicote de uma cadeia de lojas que vendem foie gras.

Timothy Dalton:

Durou apenas dois filmes, mas o desempenho de Timothy Dalton como James Bond deu um novo fôlego à saga. O agente 007 de Dalton era mais sombrio e sério, afastando-se da imagem de playboy de Roger Moore.

Depois de «Risco Imediato» (1987) e «Licença Para Matar» (1989), não se pode dizer que a carreira do ator galês no cinema tenha levantado voo, mas Timothy Dalton, hoje com 68 anos, continua a entrar em peças de teatro e séries de televisão. E sabia que foi ele quem deu voz a Mr. Pricklepants, o porco espinho de «Toy Story 3»?

Pierce Brosnan:

Depois de um escocês, um inglês e um galês... a escolha para o James Bond seguinte recaiu sobre um irlandês. Pierce Brosnan foi o agente 007 dos anos '90, começando a primeira de quatro participações com «GoldenEye». Após «Morre Noutro Dia» (2002), a possibilidade de Brosnan voltar como James Bond ainda foi posta em cima da mesa, mas tanto o ator como a produtora acabaram por desistir da ideia.

Mesmo assim, o irlandês de 59 anos tem desde então mantido uma presença assídua no grande ecrã, quer em produções interessantes, como «O Escritor Fantasma», de Roman Polanski, quer também em opções que deixaram os fãs de James Bond de boca aberta, caso do musical inspirado nos ABBA, «Mamma Mia!».

A 26 de outubro chega aos cinemas portugueses a 23ª película oficial de 007, «Skyfall». Daniel Craig é o James Bond dos dias de hoje e está já confirmado para os próximos dois filmes.
João Silva