A 14ª edição do Cine Eco, que começa este sábado e termina no próximo dia 25 vai ter 65 filmes em competição na categoria internacional e 21 na secção lusófona, uma das apostas deste Festival de Cinema Ecológico de Seia, que abrirá oficialmente com o concerto de Rodrigo Leão & Cinema Ensemble, às 21h30 na Casa Municipal da Cultura.

Seleccionados de entre mais de 500 documentários e oriundos de 40 países, o leque escolhido deixou, como conta a agência Lusa, Lauro António satisfeito. O director do festival, cineasta e também crítico destacou na competição internacional filmes já premiados noutros festivais como «Os olhos fechados da América Latina», de Miguel Mirra, «Jaglavak, Príncipe dos insectos», de Jerôme Raynaud, ou «Fantasia Olho de Peixe», de Guy Ghaumette.

Lauro António realçou o aparecimento de filmes feitos em Seia ou na região referindo que «demonstra o interesse que este Festival tem despertado na população local». E dá como exemplos da lusofonia que vai estar em exibição os filmes «Na diáspora, os lusos na Argentina», de Fernando Carlos Moura [ver artigo relacionado], ou «Benzeduras» de Adriana Rodrigues.

Na rubrica «A paixão pelo cinema», o Cine Eco vai homenagear Dino Risi e Sidney Pollack, dois realizadores «importantíssimos no panorama do cinema mundial» desaparecidos este ano e o também recém-falecido Paul Newman será lembrado através de uma retrospectiva «organizada à última hora».

Uma última homenagem vai também ser feita a Humberto Delgado quando se assinalam os 50 anos sobre as eleições presidenciais de 1958, com a presença da filha do general sem medo, a historiadora Iva Delgado.
Redação / PC