O actor Clive Owen está em Madrid, Espanha, para promover o seu mais recente filme, «Duplicity», que protagoniza com Júlia Roberts, e sobre quem não poupa elogios. «É uma mulher fantástica e com quem me sinto bem a trabalhar. Existiu muita cumplicidade entre nós e isso é uma coisa que o público percebe», referiu, citado pelo «El Pais»

O papel de Owen segue a mesma linha dos filmes protagonizados por Gary Grant, nos anos 50, nos quais diz ter-se inspirado. Mas não é por causa dos seus olhos azuis que tem tido sucesso no cinema. «Não sou bonito, tenho sorte», garante.

Apesar de também ter feito teatro no inicio de carreira, diz que prefere a magia do cinema à transparência do teatro. «É verdade que no teatro um actor se «despe» perante o público, mas prefiro o trabalho em conjunto, a magia do cinema é insuperável».

O actor tem no grande ecrã uma relação amor-ódio com Júlia Roberts, onde ele interpreta um agente do M16 e ela uma ex-agente da CIA.