Robert Wagner foi acusado de ter «responsabilidade» na morte de Natalie Wood. Assim caiu a bomba nesta sexta-feira, depois de ter sido anunciado pelo Departamento do Sheriff de Los Angeles que o processo da morte de actriz por afogamento iria ser reaberto.

E se bem que um zunido sempre se tenha feito ouvir em relação ao marido de Natalie Wood no que respeitava ao acidente, a bomba só hoje foi detonada pelo capitão do barco Splendour, onde actriz estava quando despareceu e foi dada como afogada. E a explosão apanhou Robert Wagner em cheio.

Dennis Davern foi uma das últimas pessoas a ver Natalie Wood Wagner (o nome de casada da actriz) viva. Ele era o capitão do Splendour, o barco que partiu da ilha Catalina, na costa da Califórnia, no dia 29 de Novembro de 1981, levando a bordo a actriz, o marido, Robert Wagner, e o também actor Christopher Walken¿convidado do casal.

Há dois anos, Davern escreveu com Marti Rulli «Goodbey Natalie Goodbey Splendour», um livro onde já diz que contou muito do que se passou, mas que só agora está a ser tido em conta. Em entrevista ao programa «Today», da «NBC», (reproduzida pelo «The Hollywood Reporter») Davern foi agora muito comprometedor para Wagner nas respostas que deu.

O capitão do barco referiu agora que cometeu «alguns erros terríveis» como foi «não dizer toda a verdade num relatório da polícia». Presente também no programa, Rulli conta ao entrevistador David Gregory como a noite foi atribulada, com discussões e garrafas de vinho partidas.

Confrontado por Gregory, o capitão do barco confirmou que «a discussão entre Natalie Wood e o marido Robert Wagner foi o que em última instância levou à morte» da actriz de 43 anos. «Como», o capitão quis deixar para «os investigadores decidirem». Mas não deixou de dizer que Wagner não fez muito para procurar a mulher quando deram pela sua falta. E perante a insistência do entrevistador sobre se «ele [Wagner] foi responsável pela morte dela [Natalie]?», Davern respondeu: «Sim. Eu diria isso. Sim.»

Através de um porta-voz, Robert Wagner emitiu um comunicado a dizer que a família ainda não recebeu qualquer contacto do Departamento do Sheriff de Los Angeles, mas que «apoia totalmente os esforços» agora feitos e que «confia que será avaliado se qualquer nova informação relacionada com a morte de Natalie Wood Wagner é válida». Mas frisou também que essa informação deve vir de «fontes credíveis e não dos que simplesmente querem lucrar» com o 30º aniversário da morte da actriz.

Davern responde por que acrescenta agora estas novas informações: «Porque eu tenho tentado dar infirmação sobre isto há muitos, muitos anos, mas só agora alguém está a dar ouvidos.» O antigo capitão do «Splendour» frisou no programa que não está a pensar em lucrar, que o que veio agora dizer está no seu livro publicado há dois anos e que o que está a fazer agora está a fazê-lo «pela justiça de toda a situação».
Redação / PC