«Woody Allen, queremos ver-te a filmar em Lisboa» é o repto lançado por uma nova página no Facebook que surgiu motivada pela entrevista que o cineasta norte-americano deu ao Cinebox.

Depois de beber inspiração em cidades europeias como Londres, Barcelona, Paris e Roma, Allen admitiu que Lisboa poderia ser o cenário para um filme romântico ou até de espionagem.

«Acho que para Lisboa teria de ser um filme romântico. Porque em Lisboa ou há romance ou há espiões, (...) mas, uma vez que não conheço boas histórias de espiões, provavelmente seria um filme romântico», contou Woody Allen ao Cinebox.

O realizador acrescentou que, para além de ter de encontrar uma boa história para um filme em Lisboa, teria também de receber um convite de alguém que avançasse com o dinheiro necessário para produzir a película.

É exatamente esse um dos propósitos da página criada esta segunda-feira no Facebook: encontrar quem financie o projeto para que se consiga convencer Woody Allen a filmar na capital portuguesa.

«Hoje em dia, o financiamento de muitos filmes parte de entidades privadas, pela lei do mecenato ou pelo patrocínio de uma marca. Também existe o crowdfunding. Certamente existirá aí algures uma marca de forte identidade portuguesa e com cashflow suficiente para querer ver o seu nome nos ecrãs do mundo inteiro», disse ao Cinebox Bruno Reis, criador da página «Woody Allen, queremos ver-te a filmar em Lisboa».

Este lisboeta de 29 anos acredita que, apesar dos cortes no financiamento público à produção cinematográfica portuguesa, trazer Woody Allen a Lisboa «não é impossível».

«Portugal tem boas produtoras que têm trabalhado em grandes filmes, muitos deles até nomeados para os Óscares ou até vencedores de outros prémios em festivais de cinema. O único entrave seria o financiamento do estado e essa objeção foi o principal motor para abrir esta página», explicou.

Até ao momento, a página conseguiu juntar perto de mil fãs do cineasta norte-americano e já existem sugestões para atores portugueses a serem dirigidos por Woody Allen.

«Eu gostava de ver a Soraia Chaves a desempenhar o papel da própria Lisboa, uma mulher muito bonita e que no passado viveu todo o seu esplendor, mas que pelos atritos da vida se foi tornando amarga... e só um homem ou uma situação a irá fazer renascer e reconquistar o mundo à sua volta», sugeriu Bruno Reis.

A Avenida da Liberdade, o Castelo de São Jorge, o Aqueduto das Águas Livres, a Sé de Lisboa, a Ponte 25 de Abril e «o elétrico 28 a subir a Calçada de S. Francisco» são alguns dos ícones lisboetas que o criador desta iniciativa gostaria de ver retratados por Woody Allen

Resta agora esperar para ver até onde poderá ir esta iniciativa. Caso seja bem sucedida, este seria certamente o primeiro filme de Woody Allen que nasceu no Facebook.

«Acredito que se continuarmos a crescer como até agora [em número de «likes»], vamos conseguir que alguém, alguma marca, alguma entidade, se lembre que um filme do Woody Allen seria um ótimo investimento para si e para Lisboa.»
Redação / JCS