«The Agony and the Ecstay of Phil Spector» estreou esta quinta-feira em Hollywood, onde vai estar uma semana em projecção exclusiva no American Cinematheque`s Egyptian Theatre. A estreia teve a presença do realizador do documentário, Vikram Jayanti, e de Louis Spector. Este, um dos filhos adoptivos do produtor musical, ficou satisfeito com o filme sobre o seu pai que cumpre actualmente uma pena de prisão de 19 anos pelo assassínio de Lana Clarkson, em 2003.

«Fiquei sensibilizado, emocionou-me e foi uma experiência de que gostei. E apreciei o respeito que teve para com Lana Clarkson e que o meu pai lhe mereceu. Fez um excelente trabalho e é um álbum de família que terei gosto em partilhar com outras pessoas», disse Louis Spector a Vikram Jayanti, segundo relato da agência Reuters. Louis Spector tem actualmente 44 anos e foi adoptado aos cinco anos de idade juntamente com o irmão gémeo Gary, quando Phil Spector era casado com Ronnie Spector (de quem se divorciou em 1974).

Phil Spector tem actualmente 70 anos e cumpre uma pena de prisão mínima de 19 anos, na Califórnia, pelo assassínio de Lana Clarkson, em 2003. Spector alegou que a modelo cometeu suicídio e o primeiro julgamento, em 2007 foi anulado, mas o famoso produtor musical inventor da técnica «Wall of Sound, que trabalhou com músicos como John Lennon ou The Ramones, foi julgado novamente em 2009 e condenado. Entre os dois julgamentos, Spector produziu o primeiro álbum completo em 30 anos para a sua actual mulher. Este documentário foi feito antes do primeiro julgamento.

«The Agony and the Ecstasy of Phil Spector» resulta de três horas e meia de entrevistas para a BBC, em que Spector conta ao realizador Jayanti histórias de algumas das suas maiores produções, como «You`ve Lost That lovin` Feeling», dos Righteous Brothers, ou «River Deep Mountain High», de Ike e Tina Turner. O depoimento sobre Lana Clarkson também está presente - com «Woman is the Nigger of the World» de John Lennon como banda sonora - , mas a Reuters revela que, na maioria das vezes, Spector considera-se uma vítima do pai, dos colegas da escola ou da indústria da música.

Jayanti contou após a projecção do filme que frequentemente Spector lhe deu a sensação de que a modelo de 40 anos Lana Clarkson «foi a sua casa e arruinou a sua vida» ao morrer com um disparo de uma arma de fogo na boca. «Todos sobre quem já fiz um filme ficam bastante deprimidos depois de o verem. Mas acho que a longo prazo, ele vai vê-lo como a melhor crítica que ele alguma vez terá», afirmou o realizador que também já fez documentários sobre o xadrezista Garry Kasparov ou o pugilista Muhammad Ali.
Redação