«O que me preocupa mais não é o Óscar, é o cão», confessou Mickey Rourke aos jornalistas em Moscovo, Rússia, onde se encontra a promover o filme «The Wrestler». O actor tinha há mais de duas décadas um chihuahua, que faleceu na véspera da cerimónia de entrega dos Óscares. Era um animal de grande estima, que fora até responsável pelo declínio de alguns convites para filmes só para não poder estar longe dele.

Mickey Rourke era dado como o favorito na corrida aos Óscares na categoria de Melhor Actor, mas a estatueta foi parar às mãos de Sean Penn, pela sua interpretação em «Milk», naquela que foi, aliás, a única surpresa da noite de Hollywood.

Mulheres e vodka para Mickey Rourke

«Estou feliz por estar nesta cidade; vim porque gosto, as pessoas são simpáticas e respeitadoras. Além disso, aqui tenho vodka, mulheres e posso fazer loucuras, ao contrário de Tom Cruise, que quando esteve cá, passou o tempo todo fechado no quarto de hotel», disse, citado pelo jornal «El País», em referência à promoção do filme «Valquíria».

Este foi o filme mais difícil que fiz, e o melhor»

«The Wrestler» conta a história de Randy, um lutador que sofre um enfarte e não consegue deixar o wrestling. «O realizador, Darren Aranofsky, sabia que a minha vida é semelhante à de Randy e, por isso ,foi-me fácil interpretar este papel. Sinto-me identificado com Randy enquanto pessoa», confessou Mickey Rourke. Depois de ter estado mais de uma década afastado do grande ecrã e de ter falhado uma carreia no boxe, o actor não tem dúvidas: «Este foi o filme mais difícil que fiz, e o melhor».

O actor revela ainda que os lucros que está a ter com o sucesso do seu filme têm um destino certo. «Em primeiro lugar estão os impostos. Durante 15 anos não tive dinheiro, por isso quero agora aproveitar a oportunidade para saldar as minhas dívidas para com o Estado e pagar os meus impostos».