«Argo» voltou a receber mais um prémio que o coloca, mais uma vez, na lista dos favoritos à vitória nos Óscares. Desta vez, o filme realizado por Ben Affleck venceu na categoria Melhor Argumento Adaptado nos prémios atribuídos pelo Sindicato dos Argumentistas de Hollywood, o Writers Guild of America.

Na última grande gala antes dos Óscares, Chris Terrio recebeu o galardão pela história escrita a partir de um artigo da revista «Wired», publicado em 2007, intitulado «How the CIA Used a Fake Sci-Fi Flick to Rescue Americans from Tehran».

«Argo» conta exatamente essa história: de como em 1980 os serviços secretos norte-americanos inventaram um suposto filme de ficção científica para resgatar funcionários da embaixada dos EUA durante a crise de reféns na capital do Irão.

Este é mais um prémio a somar aos muitos que o filme de Ben Affleck tem arrecadado no último mês, como as distinções máximas nos Globos de Ouro e nos Bafta, bem como nas galas das associações de realizadores, atores e produtores.

Também distinguido pelo Sindicato de Argumentistas, «00:30 A Hora Negra» venceu o prémio de Melhor Argumento Original. Mark Boal escreveu a história para a realizadora Kathryn Bigelow sobre a busca que durou mais de dez anos e que terminou com a localização e morte de Osama Bin Laden numa operação especial da CIA.

Na categoria dedicada aos documentários, Malik Bendjelloul venceu o prémio de Melhor Argumento pelo trabalho em «Searching for Sugar Man», filme que acompanha o músico Sixto Rodriguez, uma espécie de Bob Dylan mexicano que vivia na pobreza desconhecendo ser um grande sucesso de vendas na África do Sul.

«Breaking Bad - Rutura Total», «Girls», «Mad Men», «Modern Family - Uma Família Muito Moderna» e «Os Simpson» foram algumas das séries de televisão premiadas pelo Writers Guild of America.
Redação / JCS