Foi longa a espera mas, finalmente, "007 - Sem tempo para morrer" chega aos cinemas de todo o mundo na próxima quinta-feira, 30 de setembro.

Originalmente pensado para ser um dos grandes lançamentos de 2019, o filme começou por correr mal logo na fase de produção: o realizador Danny Boyle abandonou o projeto sendo substituído por Cary Joji Fukunaga e a estreia foi marcada para abril de 2020.

Mas depois veio a pandemida de covid-19 que fechou os cinemas e levou as distribuidoras a repensar toda a sua estratégia. Por momentos, temeu-se que James Bond fosse diretamente para uma plataforma de streaming. Mas, após todas as incertezas, parece que é desta: o mais aguardado filme da série, com o título "007 - Sem tempo para morrer", estreia na próxima semana. A ante-estreia, marcada para terça-feira, dia 28, acontece no Royal Albert Hall, em Londres.

Este será o 25º filme de James Bond mas, talvez mais importante do que isso, será o último protagonizado por Daniel Craig, depois de 15 anos dedicados a esta personagem que interpretou em cinco filmes: "Casino Royale" (2006), "Quantum of Solace" (2008), "Skyfall" (2012), "Spectre" (2015) e, por fim, este "No Time to Die". 

Há já algum tempo que o ator inglês, atualmente com 53 anos, vinha a manifestar o seu desejo de deixar de interpretar o famoso agente secreto.

Criado em 1953 pelo escritor Ian Flemming, Bond chegou ao cinema em 1962 com Sean Connery, que interpretou a personagem em seis filmes. Depois de uma experiência falhada com George Lazenby, foi a vez de Roger Moore dar vida ao espião em sete filmes. Timothy Dalton entrou em dois filmes e não deixou saudades. Pierce Brosnan transformou Bond num galã a derramar charme em quatro filmes. E, por fim, chegou Daniel Craig, que deu músculos a um Bond apesar de tudo menos machista e mais sintonizado com o século XXI.

Um realizador pouco conhecido

Depois da saída de Danny Boyle, a realização foi entregue a Cary Joji Fukunaga, que fez o seu percurso na televisão, em séries como "True Detective" e "O Alienista", e foi também o realizador do premiado filme "Beasts of No Nation" (2015).

Neal Purvis e Robert Wade são os autores do argumento, com a colaboração de Fukunaga, Scott Z. Burns e Phoebe Waller-Bridge (a criadora de "Fleabag"). 

As filmagens terminaram no final de outubro de 2019.

A música de Billie Eilish e de Hans Zimmer

A estrela pop Billie Eilish é a artista mais jovem a ter a honra de interpretar o tema para um filme de James Bond. A música também foi escrita por Eilish com o seu irmão, produtor e compositor Finneas. Lançado em fevereiro do ano passado, o tema "No time to die" já ganhou um Grammy apesar de o filme ainda não ter estreado. 

Foi a terceira vez que um filme de James Bond foi premiado pela sua canção-tema, depois de Adele com “Skyfall” e Paul McCartney com “Live And Let Die”.

Além disso, o consagrado Hans Zimmer é o responsável pela banda sonora original. Zimmer é o autor da música de filmes como "Rei Leão", "O Gladiador", "Interstellar" ou "Dunkirk", entre muitos outros.

O elenco

Christoph Waltz regressa como Ernst Stavro Blofeld, do "Spectre", mas Rami Malek é o verdadeiro vilão, interpretando o enigmático (e cheio de cicatrizes) Safin.

Ralph Fiennes também volta a aparecer como M, assim como toda a equipa do MI6: Naomie Harris como Moneypenny, Ben Whishaw como Q e Rory Kinnear como Tanner.

Jeffrey Wright continua como o agente da CIA Felix Leiter. E a atriz francesa Lea Seydoux, que já aparecia em "Spectre", está de volta como a dra. Madeleine Swann (é a primeira "Bond girl" a aparecer em mais do que um filme). 

Entre as caras novas, destaque para a atriz hispano-cubana Ana de Armas como a agente da CIA, Paloma, e sobretudo para Lashana Lynch como Noma, que é o novo agente “007”.

A história

"Sem tempo para morrer" começa na Jamaica, onde Bond está a desfrutar a boa vida depois de se ter retirado dos serviços secretos. Mas não por muito tempo. A sua paz termina quando o seu velho amigo Felix Leiter, da CIA, aparece com um pedido de ajuda. De acordo com a sinopse, a missão de resgatar Valdo Obruche, um cientista raptado, "acaba por ser bastante mais traiçoeira do que o esperado, o que leva Bond a perseguir um misterioso vilão, armado com uma nova tecnologia perigosa".

O que esperar deste filme? Como sempre, haverá muitas cenas de ação, com perseguições e lutas corporais. De preferência, em cenários maravilhosos. Desta vez a ação passa por locais como a Noruega, Itália e Londres. Em algum momento, espera-se, Bond irá beber um Dry Martini "batido, não mexido".

E os fãs que se preparem: este vai ser o mais longo filme da série com 2 horas e 43 minutos. 

E o próximo Bond?

Ainda não se sabe quem será o próximo ator a interpretar James Bond. O papel já foi apontado a Tom Hardy, Robert Pattinson e Idris Elba, entre outros.

Barbara Broccoli e Michael G. Wilson, produtores de James Bond, já garantiram que o próximo James Bond será bem diferente da versão de Daniel Craig.

Há até quem defenda que o próximo filme poderá ser protagonizado por uma mulher. E Lashana Lynch leva vantagem, uma vez que neste "Sem tempo para morrer" ela já é a nova agente 007. Mas é claro que ela não poderá "ser" James Bond.

Por isso, ainda na semana passada, a "Esquire" apostava as suas fichas em Lashana Lynch mas punha na corrida atores como Dev Patel, Luke Evans, Regé-Jean Page e Tom Holland. 

Maria João Caetano