Morreu esta sexta-feira o ator Christopher Plummer, artista que ficou conhecido por ser uma das caras do filme "Música no Coração", onde protagonizou o mitico Capitão Von Trapp, em 1965. O canadiano tinha 91 anos, com a notícia a ter sido confirmada pela família ao jornal The Guardian.

Segundo a publicação, o ator morreu calmamente na casa que tinha no estado norte-americano do Connecticut, onde vivia com a mulher, Elaine Taylor, de 53 anos.

Nascido Arthur Plummer em 1929, na cidade canadiana de Toronto, Christopher teve a sua primeira aparição no cinema em 1958, no filme "Stage Truck".

Christopher Plummer venceu vários prémios no mundo do cinema, mas apenas um Óscar, em 2012, de Melhor Ator Secundário, no filme "Assim é o Amor". Este foi o discurso de agradecimento:

Este galardão foi atribuído quando Christopher Plummer já tinha 82 anos, tratando-se assim do ator mais velho a receber o prémio.

Nesse ano, Christopher Plummer deu ainda a voz à narração da versão inglesa da curta-metragem "Kali, o pequeno vampiro", da realizadora portuguesa Regina Pessoa.

Christopher Plummer começou pelo teatro, sendo elogiada a sua interpretação de textos de Shakeaspeare, e entrou em mais de uma centena de filmes, quase sempre em papéis secundários. Mas ficará ligado à personagem capitão Von Trapp, do filme "Música no Coração" (1965), que interpretou ao lado de Julie Andrews.

Plummer começou a fazer teatro em 1950, ainda no Canadá, tendo seguido, anos depois, para os Estados Unidos, onde fez parte de uma companhia teatral dedicada à obra do dramaturgo William Shakespeare.

No cinema, a estreia deu-se em 1956, pela mão de Sidney Lumet, com "Lágrimas da ribalta", seguindo-se "A floresta interdita" (1958), de Nicolas Ray, enquanto entrava também em produções televisivas.

É em 1965 que protagoniza "Música no coração", de Robert Wise, filme que se tornou um clássico do cinema norte-americano, adaptado de um musical, embora Christopher Plummer tenha admitido, em entrevistas, que não tinha gostado particularmente de o ter feito.

Pirandello, Tchekhov, Arthur Miller, Harold Pinter foram alguns dos autores cuja obra Christopher Plummer trabalhou em palco, tendo ainda entrado em filmes de drama, suspense, comédia, ficção científica e policiais.

Entrou na série "Star Trek - O caminho das estrelas", trabalhou com Spike Lee, Blake Edwards, Terry Gilliam, Al Pacino, George Clooney, Helen Mirren e Shirley MacLaine, entre muitos outros.

Em 2017, Christopher Plummer substituiu Kevin Spacey, na altura acusado de abusos sexuais, no filme "Todo o dinheiro do mundo", de Ridley Scott, e que lhe valeu uma nomeação para os Óscares.

Entre os últimos filmes nos quais entrou estão "Verdade debaixo de fogo" (2019), de Todd Robinson, "Knives out: Todos são suspeitos" (2019), de Rian Johnson, e "Heroes of the golden age", de Sean Patrick O'Reilly, ainda em produção.

António Guimarães / com Lusa