A atriz brasileira Nicette Bruno morreu, este domingo de manhã, vítima de covid-19. Nicette Bruno, de 87 anos, estava internada nos cuidados intensivos da Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro, no Brasil.

Ainda este domingo de manhã, o hospital tinha emitido um comunicado onde informava que Nicette Bruno estava em coma induzido e dependente de ventilação mecânica. O seu estado de saúde "era considerado muito grave".

A notícia da morte chegou poucas horas depois, às 13:20 locais (16:20 em Lisboa), através de um comunicado:

A Casa de Saúde São José informa que a atriz Nicette Bruno, que estava internada no hospital desde 26 de novembro de 2020, faleceu hoje, às 11:40, devido a complicações decorrentes da Covid-19. O hospital se solidariza com a família neste momento."

Nicette Bruno era mãe das também atrizes Paula Goulart (ao lado de quem aparece na fotografia que ilustra este artigo)e Bárbara Bruno e do encenador Paulo Goulart. 

Nicette Xavier Miessa nasceu em Niterói, no Rio de Janeiro, a 7 de janeiro de 1933. Começou a carreira aos quatro anos, num programa infantil na Rádio Guanabara. Como nome artístico, adotou o nome de Nicette Bruno, que herdou da mãe, Eleanor Bruno Xavier, proveniente de uma família de artistas. 

Aos nove anos, Nicette começou a fazer teatro e, aos 14, já era atriz profissional, na Companhia Dulcina-Odilon, da atriz Dulcina de Morais.

Foi no Teatro que conheceu, aos 19 anos, o grande amor da sua vida, o também ator Paulo Goulart, com quem compartilhou quase 60 anos de casamento, até que a morte os separou, em 2014. 

O casal trabalhou junto diversas vezes na televisão, mas sobretudo no Teatro, tendo fundado, em 1953, a companhia Teatro Íntimo de Nicette Bruno, que contou com nomes como Tônia Carrero e Walmor Chagas.

Em 1950, estreou-se na televisão, na TV Tupi, onde participou participou em recitais e em teleteatros. Foi também na TV Tupi que participou na primeira adaptação do "Sítio do Picapau Amarelo", exibida entre 1952 e 1962. Quanrenta anos depois, protagonizou uma nova versão da obra de Monteiro Lobato, produzida pela Globo entre 2001 e 2004, como Dona Benta.

Nicette foi para a Globo em 1981, para participar na série "Obrigado, doutor" como a freira Júlia, auxiliar do protagonista interpretado por Francisco Cuoco. Na Globo, participou em telenovelas como "Sétimo Sentido" (1982), "Louco Amor" (1983), "Selva de Pedra" (1986), "Rainha da Sucata" (1990), "Mulheres de areia" (1993), "O amor está no ar" (1997), "Alma Gêmea" (2005), "A vida da gente" (2011), "Salve Jorge" (2012), "Joia Rara" (2013), "I love Paraisópolis" (2015) e "Pega Pega" (2017).

Manuela Micael / Notícia atualizada às 18:25