A atriz Debbie Reynolds morreu esta quarta-feira, apenas um dia depois da morte da filha e também atriz, Carrie Fisher. A morte de Reynolds foi confirmada pelo filho, Todd Fisher, à Associated Press: "Ela queria estar com a Carrie", vincou.

O TMZ, site especialista em notícias de celebridades, foi o primeiro a avançar que a atriz tinha sido hospitalizada e que teria sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Debbie Reynolds sentiu-se mal esta quarta-feira quando estava em casa do filho, em Beverly Hills, Los Angeles, eram 13:00 (hora local).

A porta-voz dos bombeiros de Los Angeles, Margaret Stewart, confirmou que uma ambulância foi enviada para a casa de Todd Fisher às 13:00 e que a vítima, uma mulher adulta, estava em estado crítico.

Na terça-feira, a atriz agradeceu aos fãs de Carrie Fisher, em comunicado, as homenagens após a morte da filha.

"Obrigado a todos que abraçaram os dons e os talentos da minha amada e incrível filha. Estou grata pelos vossos pensamentos e orações, que agora estão a guiá-la", escreveu.

Debbie Reynolds, de 84 anos, notabilizou-se na década de 50 em filmes como "Serenata à Chuva" (1952), onde contracenou ao lado de Gene Kelly e Donald O'Connor, e "Armadilha Amorosa" (1955), ao lado de Frank Sinatra.

Uma carreira que começou cedo quando, aos 16 anos, ganhou um concurso de beleza e um contrato com a produtora Warner Bros.

Foi casada com o cantor Eddie Fisher, com quem teve dois filhos: a atriz Carrie Fisher e Todd Fisher.