O filme 'The Rider', da realizadora Chloé Zhao, foi eleito o melhor filme de 2018 pela Sociedade Nacional de Críticos de Cinema dos Estados Unidos, numa cerimónia em que 'Roma', de Alfonso Cuarón, triunfou no número de prémios.

A cerimónia teve lugar na noite de sábado em Nova Iorque, na véspera dos Globos de Ouro.

Filmado a preto e branco, 'Roma', uma história de duas mulheres de condições sociais diferentes, no México dos anos 1970, arrecadou o segundo melhor filme, melhor filme estrangeiro e melhor fotografia. O mexicano recebeu ainda o prémio de melhor realizador.

O prémio de interpretação masculina foi atribuído ao ator norte-americano Ethan Hawke, por 'First Reformed', e o prémio de melhor interpretação feminina foi para a britânica Olivia Coleman, no filme 'The Favourite'.

Steve Yeun foi eleito melhor ator secundário, por 'Burning', enquanto Regina King foi distinguida como melhor atriz secundária, por 'If Beale Street Could Talk'.

Por sua vez, o melhor argumento foi atribuído a 'The Death of Stalin' e o prémio de melhor filme de não-ficção a "Minding the Gap".

Em declarações à Associated Press, o presidente da sociedade e crítico de cinema Justin Chang considerou ter sido um ano excecional entre novos filmes, mas, a seu ver, 'The Rider' - um drama contemporâneo filmado na Dakota do Sul - destacou-se dos restantes.

A segunda longa-metragem de Chloé Zhao, nascida em Pequim mas residente nos Estados Unidos, "é uma mistura de ficção e realismo documental", disse Chang.

[Zhao] usa atores não-profissionais de uma forma que é íntima e orgânica (...) é um filme de partir o coração, com um poder permanente", sublinhou.

Os vencedores de 2018 refletem a grande diversidade étnica e técnica da produção cinematográfica deste ano, incluindo 'Burning', um drama misterioso sul-coreano dirigido por Lee Chang-dong.