Até ao dia 30, o DocLisboa exibirá no "Heartbeat" cerca de vinte filmes, entre os quais "Bowie, man with a hundred faces or the phantom of Hérouville", do francês Gaetan Chataigne. Foi feito em 2015, para uma encomenda do canal de televisão France 4, pouco antes da morte de David Bowie.

O filme documental recorre a imagens de arquivo e entrevistas. Recupera a época em que David Bowie esteve, na década de 1970, na casa/estúdio Château d'Hérouville, onde gravou os álbuns "Pin Ups" e "Low".

Além de Bowie, a secção "Heartbeat" apresenta documentários sobre o fotógrafo norte-americano Robert Mapplethorpe e sobre o pugilista Muhammad Ali. Trata-se de "Mapplethorpe: Look at the pictures", de Fenton Bailey e Randy Barbato, e "Muhammad Ali, the greatest", filme de 1974, de William Klein sobre o puglista Cassius Clay, que morreu em junho passado.

Foram selecionados ainda "Having a cigarette with Álvaro Siza", de Iain Dilthey, que retrata o arquiteto portuense.

Portugueses presentes

Esta secção do DocLisboa, não competitiva, abre na sexta-feira com o filme "Sons do gueto", dos britânicos Tim & Barry, sobre a editora Príncipe Discos, que deu visibilidade nacional e internacional a um movimento da música eletrónica portuguesa, de influência africana, feita nos subúrbios e bairros sociais de Lisboa.

Desde 2012, a editora já deu a conhecer nomes como DJ Marfox, Photonz, DJ Nigga Fox, Nídia Minaj e Puto Anderson tanto em edições discográficas como na programação de atuações regulares no Musicbox, em Lisboa, intituladas "Noites Príncipe".

Destaque ainda para a curta-metragem "O dia em que a música morreu", uma ideia do grupo Linda Martini filmada por Bruno Ferreira com os mineiros de Aljustrel, para "Junun", de Paul Thomas Anderson, sobre a gravação de um álbum no Rajastão, e "Inside the mind of favela funk", de Fleur Beeemster e Elise Roodenburg, rodado no Rio de Janeiro.

O 14º DocLisboa, o festival internacional dedicado ao documentário, começa esta quinta-feira em várias salas da capital, como a Culturgest e o cinema São Jorge, e termina no dia 30.

Redação