O ator norte-americano Shia LaBeouf foi detido à porta de um museu em Nova Iorque, onde esta quinta-feira tem estado a cantar “Ele não irá dividir-nos” em frente a uma câmara desde a tomada de posse de Donald Trump.

De acordo com a agência de notícias norte-americana Associated Press, o ator foi detido depois de alegadamente ter puxado o cachecol a um jovem de 25 anos, tendo-lhe arranhado a cara.

Shia LaBeouf tem estado, desde a tomada de posse de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, na sexta-feira, em frente a um museu a bambolear-se e a dançar enquanto repete a frase “Ele não irá dividir-nos” para uma câmara que faz transmissão em direto para a Internet.

A transmissão é para uma projeto de arte pública, que Shia LaBeouf e dois colaboradores pretendem que esteja ‘online’ 24 horas por dia nos próximos quatro anos, tantos quanto a duração do mandato presidencial.

A câmara começou a transmitir em direto na manhã da tomada de posse, altura em que começou a funcionar um 'site' que convidava as pessoas a aparecerem em frente ao museu para participar na iniciativa.

Shia LaBeouf tem sido uma presença frequente, ainda que não constante.

Tecnicamente, o projeto não é de oposição a Donald Trump, disse o ator em declarações à Associated Press na segunda-feira.

Somos anti-divisão. Toda a gente está convidada. Só estou a dizer ‘sejam simpáticos uns para os outros’”, afirmou.

Shia LaBeouf, de 30 anos, é conhecido pela sua participação em filmes como a saga "Transformers" e "Ninfomaníaca".

Redação / EC