Kelleth Cuthbert, de nome real Kelly Steinbach, saltou para as bocas do mundo, depois de ter feito sensação na passadeira vermelha dos Globos de Ouro, a 7 de janeiro. A imagem da modelo tornou-se viral nas redes sociais ao aparecer atrás de quase todas as celebridades, promovendo a marca de água Fiji, com uma bandeja com garrafas nas mãos, sorrindo e olhando diretamente para a lente de vários fotógrafos.

Além de amplamente partilhada, a imagem da modelo tornou-se alvo de memes diversos.

Kelleth Cuthbert, até então praticamente desconhecida, passou a dar entrevistas a jornais e revistas, a aparecer na televisão e viu o número de seguidores nas redes sociais crescer exponencialmente. Só no Instagram, o número de seguidores triplicou.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

So, my husband, who doesn’t look at a lot of show business news sites, just mentioned that I was on the CNN website. I specifically moved away from the blatant promotions by Fiji and Moet where young women with their trays filled with their wares stood near a designated camera. I knew why there was a photographer poised there and I moved away as I said out loud that I didn’t want to be doing advertising for either. Clearly this angle shows that I moved from her being behind me and yet from the side it still happens. The sponsors of events need to get permission from people when they get them to take their picture next to products.

Uma publicação partilhada por Jamie Lee Curtis (@curtisleejamie) a

A empresa também viu os seus lucros crescerem. Terá tido um benefício de 12 milhões de dólares, só com este golpe publicitário, de acordo com os advogados da modelo, citados pela CBS News.

Tudo pareciam ser rosas nesta relação entre modelo e marca. Mas não demorou muito até começarem a aparecer os espinhos.

A 31 de janeiro, três semanas depois de ter saltado para a ribalta, a jovem avançou com um processo contra a marca. Na acusação, garante que a Fiji Water Company usou, sem o seu consentimento, figuras de cartão com a sua imagem, para uma campanha publicitária. Assegura também que a empresa a obrigou a assinar um “contrato falso”, enquanto era filmada, segundo o qual aceitaria ser embaixadora da marca. Por isso, exige agora que a marca lhe pague meio milhão de dólares por danos.

A Fiji Water qualifica o processo da modelo de “insustentável”. De acordo com os porta-vozes da empresa, esta assinou um “contrato generoso” com a modelo, que “ela violou sem quaisquer reticências”.

A senhora Steinbach mordeu a mão que lhe deu de comer, processando a companhia que foi responsável por lhe dar a oportunidade e os meios para capitalizar os seus 15 minutos de fama na Internet”, dizem os representantes da empresa à CBS.

Por isso, na sexta-feira, a Fiji Water avançou com um processo contra a modelo, acusando-a de tentar “extorquir meio milhão de dólares à Fiji”. Assegura que ela lhe permitiu a utilização das imagens e acusa-a de não estar satisfeita com o contrato de 90 mil dólares que tinha assinado com a companhia.

Manuela Micael