Sienna Miller revelou que o ator Chadwick Boseman, que morreu em agosto, lhe deu parte do salário quando o estúdio que produzia o filme "21 Pontes", no qual ambos participaram, recusou pagar o salário exigido pela atriz.

As revelações chegam um mês depois da morte do ator que ficou célebre por ser o principal personagem do filme "Pantera Negra". Em entrevista à Empire, que vai dedicar toda uma edição ao ator, Sienna Miller afirmou que o ato de Chadwick Boseman visava fazer face à injustiça salarial entre homens e mulheres que existe em Hollywood.

Para a atriz, esta foi uma excelente forma de mostrar o lado humano de Chadwick Boseman.

Para Sienna Miller, o filme "21 Pontes" tinha um "orçamento muito grande", mas os estúdios que produziam a obra terão aceitado pagar os valores exigidos, para depois voltarem atrás.

A artista disse então que só faria as filmagens caso lhe pagassem aquilo que ela achava justo. Para não perder a co-protagonista, Chadwick Boseman decidiu abdicar de parte do seu caché, tendo dito à atriz que ela merecia o valor que tinha pedido.

Sienna Miller referiu ainda que Chadwick Boseman era fã do seu trabalho, e que esse era um sentimento recíproco: "Ele abordou-me e disse-me para o fazer, ofereceu-me este filme, e numa altura em que eu não queria continuar a trabalhar".

Para a atriz, este tipo de gesto, com esta dimensão de generosidade, é algo que não se vê na indústria cinematográfica norte-americana.

António Guimarães