A academia de cinema dos Estados Unidos decide, esta segunda-feira, a data da cerimónia dos Óscares de 2021, que poderá ser adiada algumas semanas por causa da Covid-19.

De acordo com a Hollywood Reporter, os membros da Academia de Artes Cinematográficas dos Estados Unidos reúnem-se esta segunda-feira, online, para discutir a data da 93.ª cerimónia dos prémios de cinema, habitualmente no final de fevereiro, e o mais provável é que seja adiada por oito semanas.

A mesma publicação revela que os prazos de elegibilidade dos filmes para os Óscares serão também estendidos para lá do limite de 31 de dezembro de 2020.

Tudo por causa do impacto da pandemia da covid-19 na indústria cinematográfica não só norte-americana como global, e que levou ao encerramento de salas de cinema, à suspensão de estreias de novos filmes e ao adiamento de produções cinematográficas.

A confirmar-se, esta não é a primeira vez que a cerimónia dos Óscares é adiada.

Já o foi anteriormente, em 1938, por causa de uma situação de cheias em Los Angeles, Califórnia, em 1968, depois do assassinato de Martin Luther King Jr. e, em 1981, por causa da tentativa de assassinato do então presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan.

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 433.493 pessoas e infetou quase oito milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada ao coronavírus no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 115.732 e 2.094.069 casos, respetivamente. Pelo menos 561.816 pessoas foram declaradas curadas.

/ Publicado por MM