Uma ex-empregada de Robert De Niro pode ter de vir a pagar 5,4 milhões de euros ao ator, visto estar acusada de ter usado o horário laboral para ver 55 episódios da série Friends.

Segundo a revista Variety, Chase Robinson, a agora ex-vice-presidente de produção e finanças da produtora de cinema de De Niro, está acusada de "desperdiçar quantidades astronómicas de tempo a ver Netflix durante as horas de trabalho". Para além da maratona de Friends, Chase viu ainda 20 episódios de Arrested Development e 10 de Schitt's Creek.

"Ver programas en Netflix não era de maneira nenhuma ou estava relacionado com os seus deveres. Fazia-o para seu entretenimento pessoal, diversão e prazer em momentos que lhe pagavam para trabalhar", pode ler-se na acusação.

A produtora acusa ainda Chase Robinson de acumular gastos exorbitantes em hotéis, restaurantes (18.900 euros), táxis (28.800 euros) e de utilizar as milhas de viajante frequente de Robert De Niro para as suas viagens pessoais.

Para além disso, foi contratada como assistente de De Niro em 2008, tendo sido depois promovida a vice-presidente de produção e finanças com um salário mensal de 270 mil euros.

Chase Robinson deixou a produtora em abril e, depois de ter sido despedida, enviou um email onde classifica as preocupações com os seus gastos como "ridículas". Mais tarde, chegou mesmo a redigir uma carta de recomendação para si que Robert de Niro se recusou a assinar.