Depois de anos de especulação, um dos guionistas do programa infantil “Rua Sésamo” confirmou um dos vários rumores e teorias que existiam em torno de Egas e Becas (Bert e Ernie, na versão original), duas das personagens mais conhecidas daquela rua. Os famosos bonecos de tecido, que encheram o imaginário das crianças dos anos 90, tinham um relacionamento homossexual. Egas e Becas partilhavam casa, mas não apenas como amigos. Apesar de, em vários episódios, aparecerem a dormir em camas separadas, eram mesmo namorados, sublinhou Mark Saltzaman.

Numa entrevista à revista Queerty, o argumentista falou abertamente sobre a própria sexualidade e sobre a relação com o companheiro, que entretanto morreu, o famoso editor de cinema Arnold Glassman, que também trabalhou na “Rua Sésamo”. Quando questionado sobre se a sua vida pessoal tinha influenciado a escrita, Saltzman admitiu que sempre entendeu que as personagens Egas e Becas estavam numa relação homossexual.

Quando escrevia sobre o Egas e o Becas, pensava sempre que eram um casal. Não tinha outra forma de os contextualizar", afirmou. “Não saberia escrevê-los de outra forma que não como um casal amoroso”, sublinhou.

Mark Saltzman confessou que, apesar de não ter sido essa a intenção, a relação das duas personagens acabou por ser escrita como uma analogia ao seu próprio relacionamento com Arnold Glassman, como as discussões e as diferenças que existiam entre um e outro.

Mais do que uma pessoa, referia-se a mim e ao Arnie [diminutivo de Arnold] como o ‘Egas e o Becas'”, revelou. "O Arnold, como editor de cinema, era organizado, como o Becas. Eu era mais como o Egas, o brincalhão. O transtorno obsessivo-compulsivo de Arnie criou atrito com o caos que eu sou. E essa é a dinâmica deles. Eu levei essa dinâmica para as personagens", esclareceu.

Fantoches “não têm orientação sexual"

Em reação à entrevista de Mark Saltzman , a organização sem fins lucrativos Sesame Workshop, responsável pela série, nega que Egas e Becas sejam um casal homossexual.

Como sempre dissemos, o Egas e o Becas são melhores amigos. Foram criados para ensinar às crianças em idade pré-escolar que as pessoas podem ser boas amigas de outras pessoas que são muito diferentes de si", lê-se num comunicado da organização, publicado no Twitter. "Apesar de serem identificadas como personagens masculinas e possuírem vários traços e características humanas (como a maior parte dos fantoches da Rua Sésamo), não deixam de ser fantoches e não têm uma orientação sexual", acrescenta.

 

Mark Saltzman não é o autor das personagens Egas e Becas, que foram originalmente criadas por Frank Oz e Jim Henson, muito antes de o guionista entrar para a equipa. Frank Oz, o marionetista e colaborador de longa data do criador dos “Marretas”, Jim Henson, que morreu em 1990, também desmentiu, no Twitter, a homossexualidade das personagens.

"Parece que o Sr. Mark Saltzman foi questionado sobre se Egas e Becas são gays. É bom que ele sinta que são. Eles não são, é claro", escreve. "Mas por que razão essa pergunta? Isso realmente importa? Qual a necessidade de definir as pessoas como apenas gays? Há muito mais num ser humano do que apenas hétero ou homossexualidade".

 

De acordo com dados da Internet Movie Database (IMDB), Mark Saltzman participou em 31 episódios de “Rua Sésamo” (“Sesame Street”), entre 1985 e 1998. O programa de televisão para crianças, com fins educativos, produzido nos Estados Unidos, estreou em 1969, na estação pública NET (atual Public Broadcasting Service - PBS).

Em Portugal, “Rua Sésamo” foi emitida entre 1989 e 1996, com apresentação de Alexandra Lencastre, tendo ainda sido publicados dezenas de livros com as histórias de Poupas Amarelo, Egas e Becas, Monstro das Bolachas e Ferrão.