Johnny Depp respondeu à acusação dos seus antigos gestores de fortuna de que terá gasto cerca de dois milhões de dólares mensalmente.

Segundo consta no processo iniciado pelo ator contra o "The Management Group", citado pela AFP, Johnny Depp terá gasto perto de 70 milhões de euros em 14 casas, um iate de quase 17 milhões de euros, 45 carros de luxo e quase 700 mil euros por mês em aviões particulares, fora os custos associados à tripulação e pessoas que trabalhavam para o artista, e adquirido um número elevado de obras de arte, como de Andy Warhol, Gustav Klimt e outros artistas, no valor de milhões de dólares, e pelo menos 70 guitarras de coleção.

O ator mostrou-se desagradado com as declarações dos membros do "The Management Group" e questiona porque é que não o deixaram à sua sorte já que estava "tão fora de controlo". 

Por que é que eles não me deixaram cair como cliente se eu estava tão fora de controlo? Trabalhei muito, muito duro ao longo de vários anos e confiei em muitas pessoas, algumas das quais, claramente, me desiludiram", afirmou o ator ao The Wall Street Journal.

O ator pede agora uma indemnização de 25 milhões de euros por danos por fraude e negligência e afirma que tem liberdade para gastar o seu dinheiro como quiser.

O dinheiro é meu. Se eu quiser comprar 15 mil bolas de algodão por dia, é problema meu".

Johnny Deep processou o "The Management Group", a 13 de janeiro, afirmando que pagavam os impostos do ator de forma incorreta, faziam empréstimos sem autorização e não informavam quanto ao estado das suas finanças. O advogado do grupo reagiu às acusações e respondeu com um processo relativo a um empréstimo não pago pelo ator.

Segundo a agência noticiosa AFP, o grupo não só alegou que nunca agiu de forma incorreta, como admitiu nunca ter sido alertado para a insatisfação do antigo cliente. Acrescentou também que os gastos imprudentes do ator foram os verdadeiros responsáveis pela quase ruína financeira.

"Em mais de 17 anos, "The Management Group" fez tudo ao seu alcance para proteger o ator de si mesmo", afirmou o advogado da empresa, Michael Kump, em comunicado.

Kump acrescentou o motivo pelo qual acusam Depp e revelou que, “na verdade, quando o Banco de Depp exigiu o reembolso de um empréstimo multimilionário, o ator não tinha o dinheiro e o grupo teve que o emprestar, para evitar a humilhação financeira”.

Andreia Miranda