A ícone de Hollywood Cicely Tyson, com uma prestigiada carreira no teatro, no cinema e na televisão, morreu na quinta-feira, aos 96 anos, anunciou a agente da atriz.

Agenciei a carreira da Miss Tyson durante mais de 40 anos, e cada ano era um privilégio e uma dádiva. A Cicely olhara para as suas memórias como uma árvore de Natal com ornamentos a representar a vida pessoal e profissional dela. Hoje ela colocou o último ornamento, a estrela no topo da árvore”, disse Larry Thompson através de uma declaração citada pela Variety.

Cicely Tyson participou na versão original de 1961 Off Broadway “The Blacks”, de Jean Genet e, várias décadas depois, venceu um Tony pelo papel que interpretou em “The Trip to Bountiful”.

No pequeno ecrã, Tyson interpretou o primeiro papel de uma mulher afro-americana na série de drama “East Side/West Side”, e venceu dois Emmy em 1974 pelo papel em “The Autobiography of Miss Jane Pittman”. Foi nomeada 16 vezes para este galardão, tendo vencido também em 1994 pela participação como atriz secundária na adaptação de “Oldest Living Confederate Widow Tells All”. Também foi nomeada cinco vezes para o prémio de atriz convidada em “How to Get Away With Murder”.

A atriz recebeu também uma nomeação para os Óscares pelo drama de 1973 “Sounder”, de Martin Ritt, e um Óscar Honorário em 2018.

Tyson chegou ao grande ecrã em 1957 com a participação em “Twelve Angry Men”, um pequeno papel. No entanto, ganhou protagonismo em “Odds Against Tomorrow”, de Sidney Poitier, em 1959, ao qual se sucederam “The Comedians”, “The Last Angry Man”, “A Man Called Adam” e “The Heart is a Lonely Hunter”.

Cicely Tyson recusou sempre interpretar pessoas com dependências, prostitutas ou empregadas, papéis que considerava que diminuíam as mulheres afro-americanas.

/ HCL