Ministério do Ambiente deu «luz verde» ao troço Lisboa-Alenquer, que integra a linha de alta velocidade Lisboa-Porto, impondo condicionantes. A informação está disponível na página de Internet da RAVE - Rede Ferroviária de Alta Velocidade, noticia a Agência Lusa.

De acordo com a RAVE, a Declaração de Impacte Ambiental (DIA) à alternativa 1 do troço Lisboa-Alenquer «foi condicionada à integração no projecto de execução de um conjunto de medidas de minimização e de programas de monitorização, em fase de obra e em fase de exploração, a concretizar no Relatório de Conformidade Ambiental do Projecto de Execução (RECAPE)». A DIA condicionada foi emitida no dia 25 de Fevereiro pelo Ministério do Ambiente.

Este troço, que terá uma extensão de 30 quilómetros, desenvolve-se entre os concelhos de Loures (junto à intersecção do canal da Linha do Norte com o limite das freguesias de Moscavide e Sacavém) e Vila Franca de Xira.

A empresa responsável pelo projecto refere que «devido às características de povoamento e de ocupação urbana do território atravessado, associadas a uma orografia acidentada, cerca de 60 por cento da extensão do troço desenvolve-se em túnel e viaduto, a solução aprovada contempla 10,3 quilómetros de túneis e 7,7 quilómetros de viadutos».



A linha de alta velocidade ferroviária Lisboa-Porto representa um investimento de 3,8 mil milhões de euros e, segundo o calendário do Governo, deverá estar concluída em 2015.