Os deputados comunistas realizam entre segunda e terça-feira jornadas parlamentares, em Lisboa e Setúbal, as segundas na presente legislatura, para apresentar propostas alternativas em domínios como o trabalho, economia, justiça e a crise sanitária.

Um ano e meio desde as últimas, realizadas em dezembro de 2019, as jornadas parlamentares do PCP arrancam esta segunda-feira às 11:00, na Casa do Alentejo, em Lisboa, com as intervenções do secretário-geral, Jerónimo de Sousa, e do líder do grupo parlamentar, João Oliveira.

João Oliveira e os deputados comunistas António Filipe, Alma Rivera, Ana Serrano e Paulo Costa reúnem-se com a direção do Departamento Centro de Investigação e Ação Penal (DCIAP), às 14:00, e com a Direção Nacional da Polícia Judiciária (PJ), às 16:00, em Lisboa.

Durante a tarde também decorrerão encontros entre deputados e os órgãos de representação dos trabalhadores da TAP, em Lisboa, com pescadores, mariscadores e órgãos que os representam, em Almada e Alcochete (distrito de Setúbal), respetivamente, assim como uma reunião com a administração do hospital de Setúbal.

Na terça-feira, a jornada inicia-se com uma visita às 09:30 do líder da bancada parlamentar e dos deputados António Filipe, João Dias e Paulo Costa ao Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos, em Lisboa.

À mesma hora decorrerá uma visita às oficinas da Comboios de Portugal (CP), em Lisboa, um encontro no Seixal no âmbito na mobilidade no distrito de Setúbal, e um outro sobre o desenvolvimento regional da Península de Setúbal.

Às 17:00 está prevista uma conferência de imprensa para apresentar as conclusões das segundas jornadas parlamentares comunistas na presente legislatura, na Casa do Alentejo, em Lisboa.

Na sexta-feira passada, em declarações aos jornalistas para apresentar as jornadas, o líder da bancada parlamentar do PCP sustentou que “o país precisa com cada vez maior evidência de uma política alternativa".

Esta política alternativa que o PCP defende, acrescentou, é necessária à situação epidemiológica e aos impactos que resultam da covid-19 e face às "dificuldades que os trabalhadores enfrentam, particularmente com tentativas de limitação dos seus direitos e com despedimentos coletivos em curso”.

João Oliveira referiu que há “exemplos evidentes de medidas que são necessárias para enfrentar todos estes problemas e ultrapassar as dificuldades nacionais”.

Por isso, as jornadas parlamentares do PCP, ao longo dos dois dias de trabalhos, “pegarão em alguns dos exemplos mais visíveis e mais evidentes da situação nacional e dará destaque às soluções que existem para uma política alternativa que verdadeiramente dê resposta aos problemas”.

Na opinião do parlamentar, “muitos desses problemas são imediatos, são problemas da atualidade, mas não deixam de corresponder também a problemas de fundo que o país tem vindo a enfrentar ao longo de décadas”.

Estes flagelos, “se não forem enfrentados com coragem, determinação e com as opções políticas corretas, dificilmente podem ser ultrapassados”, sustentou.

Agência Lusa / CE