O director geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Srauss-Kahn, anunciou esta sexta-feira que a instituição pediu aos Estados-membros para que estes lhe concedam um papel de supervisão e intervenção mundial alargada, de modo a detectar riscos potenciais.

O FMI necessita de um mandato «bastante claro para detectar os riscos que pesam sobre a estabilidade económica» disse o responsável no discurso que fez perante o comité de Bretton Woods, em Washington.

«Em particular, lançamos a ideia de um novo procedimento de supervisão multilateral. Este irá permitir que o fundo avalie os efeitos alargados e sistémicos das políticas nacionais e os riscos associados de uma forma diferente», acrescentou o director geral do FMI.
Redação / CPS