O Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou esta quinta-feira a baixar as suas previsões para a economia mundial e prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) do planeta registe este ano a sua primeira contracção desde a Segunda Guerra Mundial.

Menos de dois meses após a publicação das anteriores previsões, o FMI aponta agora para uma contracção do PIB mundial entre 0,5 e 1 por cento, uma descida que a instituição considera justificar novas medidas contra a crise, escreve a Lusa.

As economias avançadas deverão conhecer «uma recessão profunda», com um recuo de 3 a 3,5% do PIB, afirma o FMI.

Nos Estados Unidos, esta contracção será de 2,6 por cento e no Japão de 5,8%. Estes dois países correm «um risco elevado» de deflação, segundo o FMI. Na Zona Euro, o risco é «moderado» mas o PIB deverá perder 3,2%.

Publica em Abril previsões mais pormenorizadas

Nos países emergentes e em desenvolvimento, a previsão de crescimento foi igualmente revista em baixa e o crescimento deverá ser apenas entre 1,5 e 2,5%.

«A actividade económica mundial cai, com as economias mundiais a registar a maior quebra do pós-guerra, apesar de esforços públicos enérgicos», constata o Fundo.

Segundo a instituição, o prolongamento da crise financeira «minou a actividade económica mundial mais do que fora antecipado».

Em 2010, a actividade deverá voltar a arrancar lentamente, com um crescimento mundial positivo de 1,5 a 2,5 por cento.

Estas previsões constam de uma nota, agora divulgada, que o FMI redigiu para preparar a reunião dos ministros das Finanças do G20, no fim-de-semana passado em Londres.

Recorde-se que o FMI deve publicar em Abril previsões mais pormenorizadas, antes da sua tradicional reunião de Primavera.
Redação / CPS