Após três anos de declínio, a taxa de desemprego da União Europeia (UE) começou a crescer no primeiro trimestre de 2008 na sequência da crise económica. Desde então, a taxa de desemprego aumentou fortemente na EU, sobretudo para os jovens.



Mais de 3 mil encontram emprego no 1.º semestre

Deixam de tirar férias com receio do desemprego

No primeiro trimestre de 2009, a taxa de desemprego sazonalmente ajustada na UE dos 27 para aqueles com idades entre os 15 e os 24 anos foi de 18,3%, uma valor significativamente superior à taxa de desemprego total de 8,2%.

Desta forma, registaram-se cinco milhões de jovens desempregados na UE 27.

Já na Zona Euro (EA16), a taxa de desemprego jovem (18,4%) registou mais 9,6 pontos percentuais que a taxa de desemprego total (8,8%). Verificaram-se, assim, 3,1 milhões de jovens desempregados na Zona Euro.

Taxa de desemprego juvenil cresce mais rápido



Entre o primeiro trimestre de 2008 e o primeiro trimestre de 2009, a taxa de desemprego juvenil na UE27 aumentou 3,7%, enquanto a taxa de desemprego total aumentou 1,5%.

A taxa de desemprego juvenil aumentou em todos os Estados-membros com excepção da Bulgária, onde caiu de 13,9% no primeiro trimestre de 2008 para 13,5% no primeiro trimestre de 2009.

Os maiores aumentos da taxa de desemprego juvenil registaram-se na Letónia (de 11,0% para 28,2%), Estónia (de 7,6% para 24,1%) e Lituânia (de 9,5% para 23,6%). Já os menores aumentos pertencem à Alemanha (de 10,2% para 10,5%) e à Polónia (de 17,8% para 18,2%).



Estes dados, publicados pelo Eurostat, pertencem a um documento divulgado, esta quinta-feira, sobre o impacto da crise económica no desemprego da União Europeia.

Desemprego juvenil superior à taxa total

Todos os Estados-membros registaram uma taxa de desemprego juvenil superior à taxa de desemprego total, no primeiro trimestre de 2009.

A taxa de desemprego juvenil variou de 6,0% nos Países Baixos até 33,6% na Espanha, enquanto as taxas de desemprego total variou de 2,9% nos Países Baixos para 16,5% em Espanha.

Homens jovens são os mais afectados

Para a UE27 como um todo, o aumento do desemprego entre os jovens, no primeiro trimestre de 2009, afectou mais os homens do que as mulheres.

A taxa de desemprego subiu para 19,1% nos homens jovens, em comparação com 17,4% para as mulheres jovens.

Recorde-se que, no primeiro trimestre de 2008, a taxa de desemprego juvenil, quer para homens quer para mulheres, registava valores praticamente iguais na UE27 (14,7% para as mulheres jovens, em comparação com 14,6% para os homens).
Redação / EF