FIGURA: Diakhite (Desp. Aves)
Foi um autêntico bombeiro no centro da defesa avense. Diakhite tentou apagar todos os focos de incêndio que pudessem incendiar a baliza da sua equipa e, com vários cortes providenciais, foi mantendo a baliza de Beunardeau inviolável. Imperial nas alturas, muito forte nos duelos individuais, só não conseguiu evitar o golo do empate ao cair do pano. 

MOMENTO DO JOGO: Golo os descontos
Os adeptos famalicenses já faziam contas ao terceiro desaire consecutivo em casa. Do lado do Aves, os adeptos festejavam a entrega da lanterna ao Portimonense e o facto de estar a um ponto da linha d'água. Riccieli tinha outros planos e cinco minutos depois dos 90 cabeceou para o empate, deixando uns menos desiludidos e outros com sabor a derrota na boca.

OUTROS DESTAQUES

Diogo Gonçalves (Famalicão): Tem sido um dos jogadores mais ativos dos famalicenses. Dotando de excelente técnica e velocidade, Diogo Gonçalves voltou a estar em plano de evidência. Teve, na primeira parte, o golo os pés, mas Beunardeau evitou. Foi perdendo fulgor no segundo tempo, à medida que também ia perdendo as forças.

Riccieli (Famalicão): Evitou a derrota da equipa em cima do apito final, marcando de cabeça o golo do empate. Mostrou, também, que é o defesa central famalicense em melhor forma.

Welinton Júnior (Desp. Aves): Teve com maiores preocupações defensivas no primeiro tempo, por isso pouco se viu do brasileiro. Porém, após a lesão de Mohammadi, Welinton Júnior apareceu mais vezes na frente e mostrou ser um perigo à solta. Ganhou a grande penalidade e converteu em golo o castigo máximo, valendo um ponto à turma da Vila das Aves.

Nuno Dantas