O empresário Pedro Pinho, que ontem agrediu um repórter de imagem da TVI após o Moreirense-FC Porto, confessou-se “arrependido” e disponível para “ressarcir a TVI”, devido aos danos materiais provocados.

A posição foi transmitida no local, por Vítor Baía, diretor do clube que se dirigiu “diplomaticamente” à equipa da TVI após a agressão, conforme relatou o jornalista Victor Pinto.

Segundo o mesmo jornalista, houve uma "tentativa de dissuasão" relativamente à possibilidade de apresentar queixa, mas o repórter de imagem manteve a intenção. Sendo o crime público, não depende, no entanto, da apresentação da queixa.

Segundo a posição do FC Porto, o empresário Pedro Pinho "não tem rigorosamente nada a ver com a estrutura" do clube. No entanto, no local foi possível confirmar que "aquela pessoa pertencia à comitiva" e tinha até "o carro estacionado numa zona reservada" para elementos portistas.

“Agiu sozinho e empurrou o repórter de imagem da TVI, que teve de descer três grandes degraus, correndo o risco de sofrer alguma queda. Houve prejuízos materiais.”