O Tribunal do Barreiro ouviu oito dos nove arguidos envolvidos nos incidentes na Academia do Sporting que se dispuseram a prestar declarações e deverá ouvir o último no sábado, anunciou esta sexta-feira o juiz de instrução criminal.

De acordo com o comunicado distribuído aos jornalistas, o início da audição está previsto para as 09:30 de sábado.

Ainda de acordo com ma nota, no domingo, a partir das 14:00, terá lugar a promoção do ministério público, a que se deverão seguir as alegações dos defensores dos 23 arguidos detidos após os incidentes que ocorreram na terça-feira na Academia do Sporting em Alcochete e em que foram agredidos vários jogadores e o treinador do clube, Jorge Jesus.

Ainda não se sabe quando serão conhecidas as medidas de coação mas face ao elevado número de arguidos tudo indica que o juiz de instrução criminal só deverá tomar a decisão a partir de segunda-feira da próxima semana.

Na terça-feira, antes do primeiro treino para a final da Taça de Portugal, em que o Sporting defronta o Desportivo das Aves, a equipa de futebol foi atacada na Academia de Alcochete por um grupo de cerca de 50 alegados adeptos encapuzados, que agrediram técnicos e jogadores. A GNR deteve 23 dos atacantes.

Paralelamente, a Polícia Judiciária deteve na quarta-feira quatro pessoas na sequência de denúncias de alegada corrupção em jogos de andebol, incluindo o diretor desportivo do futebol, André Geraldes, que foi libertado sob caução e impedido de exercer funções desportivas.

O cenário agravou-se com as demissões na quinta-feira da Mesa da Assembleia Geral, em bloco, e da maioria dos membros do Conselho Fiscal e Disciplinar, instando o presidente do Sporting a seguir o seu exemplo, mas Bruno de Carvalho anunciou ao fim do dia que se irá manter no cargo.