A críticas do técnico portista, Sérgio Conceição, ao discurso do Benfica sobre a arbitragem do clássico foi um dos principais temas em analise, esta terça-feira, no Mais Bastidores.

O treinador do Futebol Clube do Porto teceu duras críticas às queixas que o Benfica fez à arbitragem depois do jogo de domingo. O comentador da TVI, Rui Pedro Braz, afirmou não “compreender as queixas” do clube da luz.

Eu acho que o Porto ganhou bem”, afirmou Rui Pedro Braz. “Os erros foram repartidos. Já vi clássicos com o campo muito mais inclinado do que este”, acrescentou.

Esta não foi a primeira vez que o técnico do Porto acusou os encarnados de exercerem pressão sobre a arbitragem. Facto que foi relembrado pelo comentador.

Sou admirador do técnico do Porto, mas Sérgio Conceição tem de ouvir as suas próprias palavras”, reforçou. “Sérgio Conceção já criticou muito as arbitragens.”

Rui Pedro Braz aproveitou ainda para elogiar “uma nova geração de treinadores”, que acredita demarcarem-se deste discurso de acusação às arbitragens, incluindo Silas, Rúben Amorim, Ivo Vieira e Bruno Lage nesse lote de treinadores cujo discurso é mais ponderado.

Houve ainda espaço para uma crítica aos departamentos de comunicação de “todos os clubes”, em Portugal. “Têm que entender que não é o ruído que ganha campeonatos”, reforçou Rui Pedro Braz.

A segunda mão da meia-final da Taça de Portugal, que coloca frente-a-frente Benfica e Famalicão, esta terça-feira, foi outro dos temas analisados pelos comentadores da TVI.

O Benfica entra em campo com uma vantagem de 3-2, fruto do resultado da primeira mão, algo que, para Nuno Dias, não é justo para o Famalicão.

O Famalicão não merecia ter perdido na luz”, disse.

Ambos os comentadores sublinharam a importância de ver qual a reação do Benfica após a derrota no Clássico contra o Futebol Clube do Porto. Apesar de também vir de uma pesada derrota, Rui Pedro Braz acredita que o Famalicão “fará tudo para ir à final no Jamor”.

Frederico Varandas deu uma entrevista exclusiva, esta segunda-feira, à TVI, durante o Jornal das 8, onde acentuou a divisão entre a atual direção do clube e as direções das claques.

O comentador da TVI, Rui Pedro Braz, admitiu apreciar o esforço que Frederico Varandas tem vindo a desenvolver no Sporting. Porém, acrescentou que se o presidente fosse a votos, teria sérias dúvidas que ganhasse as eleições.

O presidente do Sporting devia ser o presidente de todos os sportinguistas. Neste momento, há uma divisão interna muito grande”, reforçou o comentador.

O presidente leonino afirmou que não queria “abandonar o Sporting a esta gente”, referindo-se às claques do clube. No entanto, “esta gente a que ele se refere, também são sportinguistas”, explicou Rui Pedro Braz.

Algo me parece inevitável: o Sporting, tal como nós o conhecíamos, acabou”, reparou.

Para Nuno Dias, a divisão que existe em Alvalade é fruto do corte de verbas às claques.

Não consigo compreender como é que uma claque aplaude golos adversários”, disse, referindo-se ao incidente com a Juve Leo, que festejou um golo do Portimonense. 

/ JGR