O próximo ato eleitoral do Futebol Clube do Porto já está a dar que falar. As eleições dos azuis e brancos foi um dos temas em analisados por Rui Pedro Braz e Luís Vilar, esta quinta-feira, no Mais Bastidores.

O Porto tem eleições agendadas para o ano de 2020. No entanto, os estatutos do clube abrem a possibilidade de adiar o ato eleitoral, caso não exista uma lista que se oponha à atual direção.

O comentador da TVI, Rui Pedro Braz, revelou que o empresário João Rafael Koehler foi “sondado para concorrer contra Pinto da Costa”. O objetivo, de acordo com o comentador, não é “derrubar” o presidente, mas sim ver a situação do clube debatida publicamente.

Rui Pedro Braz fez ainda outra revelação, não sobre este ato eleitoral, mas sobre o próximo.

André Villas-Boas está a preparar-se para ser presidente do Porto”, revelou. “Antero Henrique está à espera desse momento para avançar com André Villas-Boas”, acrescentou.

No entanto, de acordo com o comentador da TVI, André Villas-Boas não irá avançar contra o atual presidente do Futebol Clube do Porto. “Villas-Boas só avança no final do próximo mandato”, afirmou.

As imagens de videovigilância que mostram dois membros da direção do Sporting a serem “cercados” por adeptos do Sporting também esteve em análise.

O comentador Luís Vilar criticou a atual posição da claque do Sporting, que tem “lesado o clube”. Para Luís Vilar as claques existem “para apoiar as equipas durante os 90 minutos” e “tudo o que for para além disso” acaba apenas por lesar o clube.

Lutar contra as claques não é necessariamente apoiar o projeto de Varandas”, explicou. “Não há muitos adeptos ao lado das claques”.

Rui Pedro Braz lembrou o caso das agressões na Academia de Alcochete. “Aquilo [o ataque à Academia] foi em 2018, passaram quase dois anos e o julgamento continua a decorrer”, acrescentando que “no nosso país o crime compensa”.

Estamos a falar de uma miúda de 16 anos que foi cuspida, insultada e viu o pai a ser agredido. Isto cabe na cabeça de alguém? Alguém consegue defender isto?”, questionou.

Parte do problema para o comentador está na vontade de vários adeptos do Sporting que desejam o regresso do “pior dirigente da história do futebol português”, Bruno de Carvalho.

A condição de saúde do médio do Benfica Gabriel, que está afastado dos relvados por tempo indefinido devido à paralisia de um nervo craniano que provoca visão dupla, foi outro dos focos do Mais Bastidores.

Luís Vilar não quis comentar a vertente médica desta lesão, desejando apenas que o jogador regresse depressa aos relvados. Porém, admite que esta é uma “perda importante” para a estratégia do Benfica para esta reta final da temporada.

O Benfica está mal defensivamente. Tem muito que ver com a ausência do Gabriel”, explicou. “Não vejo uma alternativa à qualidade de Gabriel

A teoria foi corroborada por Rui Pedro Braz, que recordou o registo de derrotas de Bruno Lage na Liga. “Gabriel só esteve num dos 10 jogos que o Benfica não ganhou”, explicou.

/ JGR